Coala causa engavetamento com seis carros e ainda posa para foto

Um coala foi o principal causador de um engavetamento de seis carros na Austrália, escapou vivo e ainda posou para uma foto.

O acidente de grandes proporções ocorreu em Adelaide, no sudoeste do país e foi descrito pela imprensa local como “um mergulho no caos”.

O animal perambulou pela estrada na manhã de segunda-feira (08) e, após um motorista tentar desviar, as batidas começaram.

Ao todo, seis carros estiveram envolvidos no acidente que, felizmente, não deixou ninguém gravemente ferido.

Segundo a rede 7News, o grande acidente causou uma série de atrasos na região.

Nadia Tugwell, que estava presa no engarrafamento, conseguiu encontrar o coala e o colocou no carro, para evitar mais problemas.

Aproveitando a oportunidade, ela ainda tirou uma foto sugestiva com o animal ao volante.

Após todo o acidente, o coala foi solto pelos bombeiros em uma área florestal próxima.

Novas variantes na Itália

Casos de covid-19 no mundo caíram 17% na última semana, aponta OMS

Os novos casos de covid-19 no mundo tiveram a 4ª queda consecutiva. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), foram registrados 3,1 milhões de novas infecções pelo coronavírus na última semana –queda de 17% em relação à semana anterior. O número de mortes novas também caiu. Foram aproximadamente 88.000 na última semana, redução de 10% em relação ao período anterior. Os dados estão presentes no boletim de atualização epidemiológica feito pela organização e divulgado nessa 3ª feira (9.fev.2021).

A OMS ressalta que esse é o menor número de novos casos desde a última semana de outubro. Segundo a organização, os registros são encorajadores, ainda que “existam muitos países com números crescentes de casos”. A Europa e as Américas registraram as maiores quedas em números absolutos. Juntas, tiveram quase 500 mil casos a menos que na semana anterior. A redução no continente europeu foi de 19% e nas Américas, 17%.

A maior queda foi registrada na África, 22%. Em seguida, Pacífico Ocidental (14%), sudeste da Ásia (12%) e Mediterrâneo Oriental (2%).

Os Estados Unidos, país que lidera o ranking de casos de covid-19 no mundo, teve redução de 19%. Ainda assim, foram mais de 850 mil novos casos na última semana, segundo o medidor Worldometers.

O Brasil aparece em 2º lugar, com mais de 328 mil novos casos, uma redução de 10% em relação à semana anterior. Seguem: França (mais de 136 mil novos casos, queda de 4%), o Reino Unido e Irlanda do Norte (mais de 133 mil novos casos, queda de 25%) e Rússia (mais de 116 mil novos casos, queda de 11%).

PODER360
Foto: Remo Casilli/Reuters/Ilustração

Sem querer, advogado ativa filtro de gato em audiência virtual nos EUA

Uma audiência virtual na Corte do 394º Distrito do Texas, nos Estados Unidos, teve um momento inusitado nesta terça-feira (9): sem querer, um advogado ativou um filtro que substituía sua imagem por uma de um gato. Veja o VÍDEO acima.

Constrangido, o advogado Rod Ponton disse: “Eu estou aqui. Eu não sou um gato”.

O juiz responsável pela sessão, Roy Ferguson, achou graça da história — ele mesmo compartilhou o vídeo — e fez um relato sobre a audiência nas redes sociais: “Esses momentos engraçados são um produto da dedicação profissional legal em assegurar que o sistema judiciário continue funcionando nestes tempos difíceis”, disse.

“Todos os envolvidos lidaram com isso com dignidade, e o advogado ‘filtrado’ mostrou uma graça incrível. Profissionalismo verdadeiro em todos os sentidos”, completou o juiz.

Do G1
Foto: Juiz Roy Ferguson via Reuters

Aos 116 anos, segunda pessoa mais velha do mundo se cura de Covid-19

Às vésperas de completar 117 anos, uma freira francesa reconhecida como a pessoa mais velha da Europa e a segunda mais velha do mundo, está curada da Covid-19. Lucile Randon, a irmã Andree, passou 16 dias em isolamento após ser contaminada na casa de repouso onde vive, em Toulon, na França.

Ela não chegou a ter sintomas graves, assim como a maioria dos 80 colegas com quem convive que também tiveram a doença. No entanto, dez deles não sobreviveram.

Nascida em 11 de fevereiro de 1904, em Ales, ela tem seu recorde reconhecido pelo Grupo de Pesquisas de Gerontologia, e é mais jovem apenas do que a japonesa Kane Tanaka, que nasceu em 2 de janeiro de 1903 e completou 118 anos recentemente.

Apesar da idade, a irma Andree ainda se recorda de fatos ocorridos na época da I Guerra Mundial, e dos tempos em que trabalhou como governanta e professora em diversos lugares. Após a II Guerra Mundial, ela trabalhou durante 28 anos no Hospital de Vichy, onde cuidava de órfãos e idosos.

G1

Servidor do TRE-RN conquista 2º lugar em prêmio nacional para desenvolvedores

O servidor do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, Marcos Alexandre Medeiros, foi destaque no Prêmio Alexa de Acessibilidade, ficando em segundo lugar na competição pela criação de um programa que auxilia pessoas com deficiência intelectual e visual a lembrar onde cada objeto é guardado ou deve ser colocado. O aplicativo “Onde Guardo Isso?” é destinado à Alexa, inteligência artificial da empresa estadunidense Amazon que pode ser utilizada em diversos dispositivos.

Bacharel em Engenharia da Computação e Mestre em Sistemas e Computação pela UFRN, Medeiros conta que foi a primeira vez que desenvolveu um aplicativo para a Alexa. “Eu li uma notícia falando sobre o prêmio e achei legal a proposta, então decidi desenvolver algo. Ouvi pessoas com deficiência e profissionais que ajudam essas pessoas para chegar à minha ideia”, explica.

Ele conta que quando começou a desenvolver o aplicativo, não esperava ficar além dos 100 melhores projetos. Por isso se surpreendeu ao ficar entre os dez primeiros, o que o estimulou a divulgar mais a ideia para obter respostas de possíveis melhorias.

Servidor do TRE-RN há dez anos, Medeiros atua na Seção de Desenvolvimento de Sistemas, da Secretaria de Tecnologia da Informação e Eleições. Ele ressalta a importância da T.I. para a Justiça Eleitoral. “É uma área essencial para prestar um serviço cada vez mais célere e de qualidade. Atualmente é muito difícil visualizar um tribunal funcionar sem T.I. Por exemplo, se não tivéssemos acesso a sistemas computacionais, seria muito difícil realizar uma sessão da Corte”, comenta.

Além disso, Medeiros aponta que o investimento em Tecnologia da Informação ajuda na redução de custos de qualquer instituição. “É possível desenvolver sistemas que diminuam o esforço de trabalho para uma tarefa, por exemplo. Com a T.I., conseguimos produzir mais ou na mesma intensidade com menos”, continua.

“A Tecnologia da Informação também é importante, inclusive, para a acessibilidade da Justiça Eleitoral. Através das tecnologias da informação, tribunais podem chegar a ainda mais pessoas através de sistemas cada vez mais inclusivos”, completa.

Foto: Divulgação

Raio atinge casa e agricultor morre durante banho no município de Lagoa Nova

Um agricultor morreu depois de ter a casa atingida por um raio na tarde desta terça-feira (9), no município de Lagoa Nova, na região Seridó do estado. De acordo com informações da família, ele foi encontrado desacordado dentro do banheiro da casa e socorrido ao hospital, mas não resistiu.

O agricultor José Florêncio da Costa, de 58 anos, morava no Sítio Filgueira, na zona rural do município. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 18h45 equipes foram acionadas por familiares da vítima, que encontraram o homem desacordado.

Os parentes disseram à PM que José Florêncio estava tomando banho quando a casa foi atingida por um raio. No momento do incidente chovia na cidade. A polícia confirmou que havia marcas de queimaduras do lado esquerdo do corpo da vítima, além de um corte na cabeça.

O agricultor foi socorrido para o Hospital da cidade de Lagoa Nova, mas já chegou sem vida à unidade.

De acordo com o professor Humberto Dionísio, do curso de engenharia elétrica da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), o Brasil tem grande incidência de descargas atmosféricas.

“Geralmente os casos que ocorrem são de pessoas que estavam fora das edificações, mas nesse caso o raio deve ter atingido a edificação e a pessoa que veio a óbito sofreu uma descarga elétrica proveniente de uma descarga atmosférica. Tem que ser investigado o aterramento da edificação”, explica o especialista.

Do G1 RN
Foto: Reprodução – José Florêncio da Costa, em entrevista ao Inter TV Rural em 2016.

‘Portugal é um barril de pólvora, país de idosos e fumantes’: médico brasileiro descreve tsunami por covid-19

Portugal vive hoje um “tsunami” de covid-19. É o que afirma o médico brasileiro Marcelo Matos, 45, que atua na urgência de dois hospitais da região metropolitana de Lisboa. Os números corroboram a sua avaliação: em 28 de janeiro, o país chegou ao recorde de 16.432 novos casos.

Proporcionalmente ao tamanho da população, o dado equivaleria a quase 340 mil infectados diariamente no Brasil — que, na mesma data, teve 61.811 novos registros.

“Eu vivi todas as ondas do novo coronavírus em Portugal. A primeira [em março de 2020] foi uma marola, vimos o que aconteceu no resto da Europa e nos preparamos bem, não houve sobrecarga. A segunda [em outubro e novembro] foi mais puxada. Mas chegamos ao ápice agora. A terceira onda é um tsunami”, diz Matos à BBC News Brasil.

Ele relata um cenário de caos nos hospitais durante o pico das infecções, no mês passado, e afirma que, a cada 4 pessoas que chegam à emergência atualmente, 3 têm sintomas de covid-19. “Na primeira onda, era o contrário, quase ninguém ia para o Covidário [nome dado ao espaço reservado aos casos suspeitos da doença nos hospitais].”

“Presenciei situações dantescas. Quando chegava para trabalhar, às duas da manhã, encontrava 60 pessoas à espera de serem atendidas (em dias normais, seriam cinco ou seis)”, afirma.

Ele explica que o sistema de saúde português utiliza pulseiras com cores para identificar a gravidade do quadro de quem chega ao serviço de emergência — o Protocolo de Manchester. De acordo com a escala, quem recebe a pulseira amarela (urgente) deve ser atendido em até 50 minutos, enquanto aqueles com a cor laranja (muito urgente) podem esperar no máximo 10 minutos — os vermelhos (emergência) são atendidos de imediato. As pulseiras verdes e azuis são dadas a casos menos graves.

Marcelo Matos atua na urgência de dois hospitais da região metropolitana de Lisboa – Foto: ARQUIVO PESSOAL

“E quando entrávamos, era um desespero, porque só tinha gente com pulseira laranja. Tínhamos pacientes com essa classificação esperando 6, 7 horas. Eram tantos laranjas que o sistema colapsou, a gente não tinha nem como atender os amarelos”, conta.

“Eram pacientes graves, com baixa oxigenação no sangue. E a maioria deles idosos, muitos com doenças associadas. Portugal é um barril de pólvora [para a covid-19], um país de idosos e fumantes.”

O médico carioca, que atua no país há três anos, diz que, nos piores dias, houve falta de insumos no hospital, algo que só havia visto no Brasil. “Não tinha mais rampa de oxigênio para usar, eram muitos idosos em macas, mal dava para andar dentro da urgência. Era um cenário de guerra”, afirma Matos, que vem trabalhando cerca de 70 horas por semana.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA AQUI

Da BBC News Brasil
Foto: AFP

Prefeitura de Natal promove Carnaval online com variedade de atrações

Na tela do seu celular ou na TV de casa, o Carnaval de Natal 2021 vem com força total no formato online, através do canal oficial da Prefeitura do Natal, no Youtube (https://www.youtube.com/user/natalprefeitura). Tendência mundial em tempos de pandemia da Covid-19, o Carnaval online vai reunir dezenas de atrações musicais, com palco das marchinhas, Desfile das Kengas, escolas de samba e muito mais. Todas as atrações serão potiguares e as gravações aconteceram com total segurança num espaço adaptado com palco e toda a estética carnavalesca.

Organizado pela Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Cultura (Secult-Funcarte), o Carnaval online começa nesta próxima quinta-feira (11) e vai até a terça-feira (16) com atrações de peso na cena potiguar, como Frevo do Chico, Perfume de Gardênia, Fobica do Jubila, Camila Masiso, Isaque Galvão, Wagner Buxecha, Érica Silva, Cavaleiros do Forró, Potyguara Bardo, Nagibe, Som e Balanço, Orquestra do Papão, Samya Maia, Dodora Cardoso, Ivando Monte, Jaina Elne, Isaque Galvão, Kanelinha, Detroit, Pedro Mendes, Sueldo Soares, Dodô Pressão, Pedro Lucas, Pedro e Erick, Cida Lobo Feat Khrystal, Robson Paiva, Luiza e os Alquimistas, Valéria Oliveira, Felipe Toca, Greiosa, Rocas de Samba (Debinha Ramos, Rafael Almeida, Mestre Zorro, Luizinho Nobre, Rogerinho, Eri da Balanço e Denício Boaventura), Serginho Pimenta e muito mais.

Todos os estilos foram contemplados na edição online do Carnaval de Natal. Segundo o secretário Dácio Galvão, o formato atende os critérios de prevenção contra a Covid-19, além de contemplar o segmento cultural e a economia criativa. “Trata-se de uma iniciativa pioneira no Carnaval e que contempla artistas que estiveram em edições dos formatos convencionais de anos anteriores e também mostraram engajamento neste desafio de fazermos um Carnaval com tota segurança”, explica o secretário.

A partir da quinta (11), o natalense poderá acessar o canal oficial da Prefeitura do Natal no Youtube e acompanhar dezenas de atrações, inclusive com os tradicionais projetos Palcos das Marchinhas e Desfile das Kengas.

DESFILE DAS KENGAS

Sucesso há mais de três décadas e referência do Centro Histórico, o tradicional Desfile das Kengas homenageia os guerreiros da área da saúde, que estão na linha de frente do combate ao Covid-19. Neste ano, o tema será “Yes, Nós Temos Vacina”, no domingo, dia 14, a partir das 16h, com show de Larissa Costa, Cida Lobo (17h) com participação de Khrystal, Orquestra Frevo do Papão (18h), Jarita, Shakira e DJ La Promo.

No desfile, acontece a entrega das faixas das Madrinhas 2021 (Múcia Teixeira, que é atriz e enfermeira), Potyguara Bardo (cantora) e Goretti Gomes (enfermeira e ativista). Para fechar, às 19h30, tem show de Potyguara Bardo.

PALCO DAS MARCHINHAS

Sucesso dos últimos carnavais de Natal, o Palco das Marchinhas que lotava o Largo do Atheneu também chega ao formato online. Em sua quinta edição, o projeto contará com os vencedores das quatro edições já realizadas no Concurso Dosinho de Marchinhas Carnavalescas (2017 a 2020), além da entrega da premiação em forma de homenagens através do 5º Prêmio Dosinho de Carnaval.

A programação acontece sexta-feira, dia 12, no canal da Prefeitura do Natal, com a banda Perfume de Gardênia na abertura acompanhada de intérpretes convidados e vencedores de edições anteriores. Dodora Cardoso, Yrahn Barreto, Analuh Soares, Manassés Campos/Lene Macedo/Clara Menezes e Didi Avelino), Elias do Raio-X e Larissa Costa. Às 23h tem 3º Baile das Marchinhas 2021 com Dodora Cardoso, Jaina Elne e Isaque Galvão.

EXPOSIÇÃO DE FIGURINOS

Dentro da programação do Carnaval de Natal online, haverá exposição dos figurinos das Escolas de Samba de Natal no Praia Shopping. O público poderá conferir os belos trabalhos das escolas Acadêmicos do Morro, Balanço do Morro, Imperatriz Alecrinense, Batuque Ancestral, Em Cima da Hora, Grande Rio do Norte e Império do Vale. A exposição será na quinta-feira (11), a partir das 10h, com entrada franca.

CARNAVAL PELA LEI ALDIR BLANC

Através da Lei Aldir Blanc, vários projetos de Carnaval estarão à disposição do público também no formato online. Do Descarte à Sustentabilidade, a Origem do Fuleragem, o 1º Concurso de Fantasias do Carnaval de Natal, Bloco Galo dos Perturbados, Grêmio Carnavalesco Bloco da Greiosa, Bloco Acorda Morro Brancco Qua a Banda Chegou, Bloco Aponta e a Roda de Samba do Suvaco do Careca. Todos estes projetos estarão disponíveis nos canais dos artistas.

Confira a programação completa:

www.natal.rn.gov.br

www.blogdafuncarte.com.br

Foto: Divulgação

Vereadores da Zona Norte de Natal formam bancada e cobram ações para região

Um grupo de sete vereadores da Câmara Municipal de Natal decidiu formar nas últimas semanas uma bancada suprapartidária em defesa do desenvolvimento da Zona Norte, a maior das quatro regiões administrativas da capital potiguar. A iniciativa é inovadora no legislativo municipal.

Bastante heterogêneo, o grupo tem vereadores de seis partidos políticos diferentes. Além disso, há parlamentares tanto da bancada governista quanto da oposição. Em comum, excluídas as diferenças, um só objetivo: somar esforços para alavancar o crescimento da região.

Uma das integrantes da bancada, a vereadora Divaneide Basílio (PT) afirma que a articulação tem o objetivo de chamar atenção do Executivo – seja Prefeitura do Natal ou Governo do Estado – “para a necessidade de investimentos e políticas públicas para a Zona Norte”. “São vereadores de vários espectros e partidos políticos unidos com o propósito de fortalecer uma agenda em favor da região, que é a maior e a mais populosa da cidade”, enfatiza a petista.

Mesmo antes de os trabalhos legislativos serem abertos para 2021, o grupo já começou a articular algumas ações. Nos últimos dias, os vereadores assinaram um requerimento conjunto cobrando do Governo do Estado melhorias para a Zona Norte.

Os parlamentares pediram à governadora Fátima Bezerra (PT) a abertura de uma nova Central do Cidadão e a conclusão das obras do Pró-Transporte e do campus da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern). Além disso, foi solicitado ao governo a transferência do 4º Batalhão de Polícia Militar para uma área maior, o que já foi atendido por Fátima.

O vereador Milklei Leite (PV) afirma que, trabalhando em conjunto, o grupo de vereadores pode agilizar a execução de obras na Zona Norte. Ele ressalta que a bancada pretende unir emendas parlamentares para somar recursos e garantir orçamento necessário para serviços como drenagem e pavimentação.

“Se um vereador sozinho não resolver, cada um pode colocar uma emenda. Às vezes, para resolver o problema, precisa de uma emenda maior. Vamos dialogar juntos, apresentar requerimentos conjuntos”, enfatizou o parlamentar.

Segundo o vereador Anderson Lopes (Solidariedade), o objetivo da bancada é atuar para que “a Zona Norte seja vista com outros olhos pelo poder público”. “Esta é uma legislatura histórica, pois nós temos seis representantes da Zona Norte na Câmara Municipal de Natal, algo que nunca tinha acontecido. Eu passei quatro anos pedindo que o povo da Zona Norte acordasse. Agora, eles acordaram e está na hora de trabalharmos muito pela nossa cidade, em especial, pela nossa Zona Norte”, destacou Anderson.

“A eleição passou, nós desmontamos o palanque e agora é a hora de darmos as mãos e fazer pelo nosso povo tudo aquilo que prometemos. Queremos uma Zona Norte melhor para todos os seus habitantes. Saúde, esporte, lazer, educação, ruas calçadas, limpas, iluminadas e dignas de um povo que merece a nossa atenção e o nosso trabalho”, acrescentou.

Também entusiasta da bancada, o vereador Hermes Câmara (PTB) ressalta que a Zona Norte foi, nos últimos anos, “esquecida” pelo poder público e que a chegada de vereadores oriundos do bairro pode ajudar no desenvolvimento da região.

“Decidimos nos unir em defesa da Zona Norte propondo essa maior atenção a uma região que já tem inúmeros problemas, segue crescendo consideravelmente e não tem um acompanhamento do poder público no mesmo ritmo. Queremos dar essa atenção à Zona Norte”, complementa o parlamentar.

Bancada da Zona Norte:

Anderson Lopes (Solidariedade)
Antônio Peixoto (PTB)
Divaneide Basílio (PT)
Hermes Câmara (PTB)
Margarete Régia (Pros)
Milklei Leite (PV)
Nivaldo Bacurau (PSB)

Do Portal Agora RN
Foto: Ney Douglas/Ilustração

ATENÇÃO! Agências do Banco do Brasil fazem paralisação nesta quarta-feira no RN

Em assembleia virtual na última sexta-feira, dia 5 de fevereiro, o Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte decidiu que vai participar da mobilização e paralisação nacional contra as medidas de reestruturação do Banco do Brasil. Com isso, as atividades de atendimentos serão suspensas nas agências do RN nesta quarta-feira, dia 10 de fevereiro.

De acordo com o coordenador geral do sindicato no RN, Eduardo Xavier, a categoria aguarda uma negociação com o Governo Federal e que, por esse motivo, todas as agências estarão fechadas para o atendimento.

“Esperávamos que depois do último ato de greve contra esse desmonte, o governo pudesse conversar conosco para negociar e recuar dessas medidas, porém ele mantém fechar 360 agências, o desligamento de cinco mil funcionários e o fim da função de caixa na instituição, diante disso, todas as agências do RN e de todo o Brasil fecham amanhã e só reabrem na quinta-feira”, afirmou.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ex-prefeito de Pedra Grande morre em acidente na RN-120

O ex-prefeito da cidade de Pedra Grande, Waldemir Belchior, faleceu na noite de ontem (09) em um grave acidente na RN-120, no trecho entre Parazinho e Pedra Grande, na altura da curva do lixão. A colisão envolveu dois veículos. Outras duas pessoas vieram a óbito no acidente.

O ex-prefeito Valdemir Valentim Soares Belchior, de 59 anos, teve o seu mandato concluído no ano passado. Em sua trajetória política, teve cinco mandatos como vereador, foi presidente da Câmara de Pedra Grande e concluiu ainda dois mandatos como prefeito, sendo o primeiro na eleição suplementar de 2015.

Do Portal Grande Ponto

Pesquisa: maioria dos brasileiros está otimista em relação ao emprego em 2021

Levantamento nacional realizado pelo instituto Paraná Pesquisas para esta coluna e o site Diário do Poder revela que o brasileiro está otimista em relação ao próprio emprego, em 2021. De acordo com a pesquisa, 60,4% dos entrevistados acreditam que vão preservar o emprego, enquanto 10,7% acreditam que serão promovidos e até terão aumento e 4,8% estão confiantes de que vão encontrar trabalho. De todos os entrevistados, apenas 18,2% estão receosos sobre perda do emprego. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Pela pesquisa, homens são mais otimistas que mulheres e quem tem 60 anos ou mais são mais confiantes no seu emprego que jovens de até 24.

Brasileiros da região Sul são mais otimistas: 65% acham que manterão o emprego. No Norte e Centro-Oeste o nível de confiança cai para 57,7%.

A pesquisa lembrou o desemprego em 2020 para indagar: “Qual sua perspectiva com o seu mercado de trabalho para 2021?”

O levantamento do Paraná Pesquisas, de 22 a 26 de janeiro, permanecia inédito. Foram ouvidas 2020 pessoas em todos os estados e no DF.

Do DIÁRIO DO PODER
Foto: Valdecir Galor/SMCS

Deputada Natália Bonavides entra com representação para garantir reaplicação do ENEM para estudantes prejudicados

A deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) apresentou no Ministério Público Federal (MPF), juntamente à bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara, uma representação para que o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2020 seja reaplicado para todos os candidatos e candidatas que não realizaram a prova, independente do pedido de justificativa. Além disso, a bancada petista está defendendo que aqueles candidatos que optem por não realizar o exame por conta da insegurança causada pela pandemia do Covid-19, sejam ressarcidos do valor pago pela inscrição.

Para a parlamentar, a maneira como o Governo Federal lidou com a aplicação do exame durante a pandemia foi irresponsável. “A forma como o governo Bolsonaro decidiu realizar a prova do Enem prejudicou milhões de estudantes. É inadmissível que os inscritos que não puderam comparecer aos locais de provas nos dias das aplicações sejam penalizados. A responsabilidade é do Ministério da Educação e não dos estudantes”, disse Natália.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) anunciou que a abstenção ficou acima de 50%, número muito superior aos anos anteriores. No Rio Grande do Norte, dos mais de 129 mil inscritos, cerca de 60,5 mil faltaram ao primeiro dia de prova, sendo 46,9% dos estudantes.

“Nós sabemos que as alunas e os alunos das escolas públicas foram os mais afetados pela aplicação das provas em tempos de pandemia e sem a garantia de segurança. A consequência tende a ser um aumento no já desigual acesso à educação superior em nosso país. Precisamos agir para que essa desigualdade não seja ainda mais acentuada “, destacou Bonavides.

Foto: Maryana Oliveira

MPF denuncia reitora da Ufersa por intimidação a estudantes

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma denúncia e uma ação de improbidade contra a reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, por ameaçar uma estudante; tentar silenciar e intimidar alunos contrários à sua nomeação; editar atos cerceando a liberdade de expressão; retardar uma cerimônia de colação de grau para atender interesse pessoal; e por espalhar informações falsas sobre a aluna Ana Flávia.

A reitora, que foi a terceira colocada na eleição interna para o cargo, terminou sendo a escolhida para assumir a gestão da universidade em agosto do ano passado, o que causou reações por parte, principalmente, dos estudantes da instituição. Para o Ministério Público Federal, a forma como Ludimilla Oliveira respondeu a essa reação incluiu a prática de crimes e de atos de improbidade.

A denúncia aponta que a gestora cometeu os crimes de ameaça e prevaricação (artigos 147, 319 do Código Penal, respectivamente). O primeiro através de uma postagem em rede social e o seguinte a partir dos entraves que criou para impedir que uma colação de grau pudesse servir de palco para críticas à sua nomeação.

Criminalização

Desde sua posse, em agosto de 2020, as primeiras práticas indevidas começaram a ser percebidas. No dia 26 daquele mês, Ludimilla Oliveira solicitou investigação policial contra a coordenadora do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Ufersa, acusando-a de calúnia, difamação, ameaça e associação criminosa. Para o MPF, a iniciativa foi tomada pela reitora mesmo “sabendo que a aluna era inocente” e apenas como forma de intimidação. A acusação foi arquivada pelo Ministério Público Federal, com aval da Justiça.

A estudante havia chamado Ludimilla Oliveira de golpista e interventora e convocado manifestações e protestos. Pouco depois, em setembro, foi mais uma vez alvo da reitora, que a denunciou pela suposta invasão das dependências da universidade. Mesmo já ciente do arquivamento da representação anterior, continuou a acusar a estudante da prática dos delitos.

O Ministério Público Federal, diante do impasse, remeteu recomendação ao DCE, à Polícia Federal e à Ufersa. A reitora informou, expressamente, que não acataria parte da recomendação e continuou a buscar a intervenção prematura da Polícia Federal, mesmo diante de protestos pacíficos. “Em nenhum dos protestos realizados foi feito uso de violência ou de armas por parte dos estudantes, sempre se manifestando de forma pacífica, mas, obviamente, em desagrado à reitora”, destaca a inicial.

Abin

No Instagram, após receber mais uma crítica da coordenadora do DCE, a reitora respondeu à mensagem com uma referência à Agência Brasileira de Inteligência, marcando o nome da aluna junto da hashtag “#Abin”. “Sem margem de dúvidas foi uma grave ameaça proferida à estudante, como mais uma tentativa de silenciamento e intimidação por parte da denunciada, a qual, diante de comentário crítico exercido por aquela nos limites da liberdade de expressão, ameaçou algum tipo de intervenção por parte da Abin”, ressaltou o MPF.

Para o Parquet, caso não houvesse notícia sobre utilização indevida da Abin, a ameaça não se caracterizaria. Porém o próprio STF, na análise da ADPF 722, reconheceu grave desvio de finalidade das atividades de inteligência da agência, mediante a utilização do aparato estatal para produzir relatórios e dossiês de pessoas identificadas como sendo antifascistas, em “clarividente ato de perseguição política e ideológica”.

“Ao utilizar a #abin, mencionando o perfil da estudante, a denunciada o fez com o único objetivo de ameaçar de causar-lhe grave temor de ter sua vida ilegalmente monitorada pelos órgãos de inteligência brasileiros”, conclui o MPF.

Cerimônia

O crime de prevaricação decorreu da tentativa ilegal da reitora de impedir uma possível crítica de formandos da universidade à sua nomeação. Ela editou uma portaria, em 8 de janeiro, estabelecendo as regras para a colação de grau remota nos cursos de graduação. Uma das medidas de “silenciamento” foi determinar que a transmissão (via Youtube) teria o chat desabilitado, ou seja, não permitiria comentários ao vivo.

Determinou também a proibição de protestos de qualquer natureza durante a cerimônia, prevendo, inclusive, a aplicação de sanções. A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou uma ação através da qual a Justiça determinou a suspensão de parte da portaria, exigindo que a Ufersa não adotasse qualquer medida que representasse “censura prévia ao direito de livre manifestação”.

Diante da liminar judicial, a reitora emitiu uma nota de esclarecimento informando, falsamente, que em razão da decisão a cerimônia de colação de grau (marcada para 11 de janeiro) teria de ser adiada para 15 de janeiro. A DPU, porém, comunicou à Justiça o descumprimento da decisão liminar, “pois, em momento algum, determinou-se o adiamento da colação”.

Ao ser cobrada para prestar esclarecimentos pelo MPF, Ludimilla Oliveira mudou sua versão e afirmou que o cancelamento teria se dado devido à necessidade de “observância de medidas de proteção contra a propagação da covid”, embora pouquíssimas pessoas teriam de estar presencialmente na universidade, uma vez que o evento seria transmitido de maneira virtual. Com o retardamento, a colação terminou por ocorrer através de um sistema interno (Sigaa), no dia 15, sem transmissão pelo Youtube.

Ao tentar evitar os protestos pacíficos ou críticas, “além de ofender a Administração Pública, (a reitora) impediu, inclusive, a participação de amigos e familiares dos concluintes nesse momento tão importante de suas vidas, causando, certamente, frustração e dano irreparável aos alunos”.

Fake news

Na ação de improbidade, além dos fatos reportados na denúncia, o MPF também aponta a disseminação de informações falsas no canal institucional da própria universidade. “Fazendo valer a sua opinião de que a estudante tinha cometido os citados crimes, a demandada emitiu uma Nota de Esclarecimento (…) aduzindo, em síntese, que o citado IPL (no qual acusava a estudante) não teria sido arquivado e que a manifestação do MPF não tinha validade, pois a autoridade policial havia elaborado relatório, considerando a estudante ‘culpada’”, relata o MPF.

A reitoria tinha plena ciência do arquivamento e de que a atuação do Ministério Público independe do entendimento da autoridade policial. “A demandada tem todo o direito em se opor à promoção de arquivamento efetivada pelo MPF (…). Para tanto, poderia ter lançado mão do instrumento processual adequado, qual seja, o recurso à instância superior. Ao invés de recorrer ao devido processo legal (…), buscou disseminação de desinformação sobre o trabalho do MPF, em clara tentativa de deslegitimação”.

Além disso, segundo o MPF, o Relatório da Polícia Federal, em momento algum considera a aluna como culpada, até mesmo porque, como se sabe, somente há configuração e culpa com o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. No âmbito do IPL sequer houve o indiciamento da aluna, deixando a autoridade policial de sugerir o ajuizamento de ação penal diante do reconhecimento de que interpretações diversas sobre a atuação dela poderiam mesmo existir. Não há, então, nenhuma indicação de configuração de culpa no relatório, diferentemente do que foi noticiado.

De o acordo com o MPF, “o fato é muito grave, pois recurso públicos foram direcionados para a elaboração e disseminação de notícias falsas. Com a publicação de nota em sítio oficial, servidores públicos foram acionados para elaboração e divulgação de tal conteúdo para atender, novamente, a mero interesse pessoal da autoridade. Ora, a publicidade oficial deve, obviamente, também pautar-se pelos princípios da Administração Pública, abstendo-se de publicar informações falsas.”

Foto: Divulgação

Quem recusar vacina pode ser demitido por justa causa, diz MP do Trabalho

BRASÍLIA – Trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19, sem justificativa médica, poderão ser demitidos por justa causa. Esse é o entendimento do Ministério Público do Trabalho (MPT) que consta em um documento interno do órgão para orientar a atuação dos procuradores.

A avaliação parte do princípio de que a vacinação é um bem comum, segundo uma fonte a par do assunto. Contudo, a demissão por justa causa deve ser adotada em último caso, cabendo aos empregadores a tarefa de realizar campanhas de conscientização, envolvendo os sindicatos dos trabalhadores.

As empresas também deverão considerar o risco de contágio da doença nos programas de prevenção e incluir a vacina entre as medidas para assegurar a saúde dos trabalhadores.

A orientação do MPT está em linha com decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu que o governo poderá impor penalidades a quem se recusar a tomar a vacina e referendada por juristas, como informou O GLOBO em janeiro.

Também tem como base a CLT e diversas normas regulamentadoras que buscam preservar a saúde e segurança dos trabalhadores.

Sem acesso ao FGTS
A demissão por justa causa restringe as verbas trabalhistas na rescisão contratual aos dias trabalhados e férias proporcionais. Quem é demitido nesta condição não tem direito ao saque do FGTS, nem ao seguro-desemprego.

O MPT orienta também a necessidade de seguir a disponibilidade de vacinas em cada localidade e os grupos de prioridade. Caberá ao trabalhador comprovar a sua impossibilidade de receber o imunizante com a apresentação de laudo médico.

Mulheres grávidas, pessoas alérgicas a componentes das vacinas ou portadoras de doenças que afetam o sistema imunológico, por exemplo, podem ser excluídas da vacinação.

Do O Globo
Foto: Filipe Bispo/Fotoarena / Agência O Globo

Ufersa abre seleção para contratação de 9 professores substitutos com salários de até R$ 6,2 mil

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), publicou edital para a contratação de 9 professores substitutos para os campi de Mossoró, Angicos e Caraúbas. As inscrições serão abertas nesta quarta-feira, (10). Os salários podem ultrapassar os R$ 6 mil.

As vagas são para as áreas de engenharia, administração, letras e pedagogia, com carga horária de 40 horas semanais. A remuneração varia de R$ 4.058,48 a R$ 6.289,21, já inclusos o auxílio-alimentação e a retribuição por titulação (especialização, mestrado ou doutorado), apresentada pelos candidatos aprovados.

As inscrições devem ser feitas através do site da Ufersa no período de 10 a 18 de fevereiro. O valor da taxa de inscrição é de R$ 70. Os candidatos passarão por três etapas de avaliação: prova escrita, prova didática – de caráter eliminatório – e, por último, a análise curricular, sendo essa apenas classificatória.

A previsão é que as provas escritas sejam aplicadas no campus central da Ufersa, em Mossoró, no dia 14 de março, das 8 às 12h. As demais etapas ocorrerão até o dia 20 de março.

De acordo com o edital, em todas as etapas serão seguidas as orientações do Plano de Biossegurança da Ufersa, como o distanciamento social, uso de máscara e a higienização das mãos com álcool a 70%, que estará disponível nos locais de prova.

O edital com todas as informações relativas ao processo seletivo para professor substituto está disponível no site da Ufersa.

Do G1-RN
Foto: Eduardo Mendonça

Idoso de 97 anos chega dirigindo carro para se vacinar em drive-thru de SP: ‘não tenham medo’

O italiano Lando Lombardi foi ao drive-thru do Anhembi, na Zona Norte de SP, dirigindo um automóvel modelo Escort, de 1985, e disse depois da vacinação que “uma vez que você é vacinado, já se sente melhor”

O início da vacinação contra a Covid-19 em drive-thrus na capital paulista foi marcada nesta segunda-feira (8) por cenas emocionantes e inusitadas, como a do imigrante italiano Lando Lombardi, que, aos 97 anos, chegou para se vacinar dirigindo um automóvel modelo Escort, de 1985.

Lúcido e muito ativo, ele foi sozinho ao posto de vacinação do Anhembi, na Zona Norte da capital, para se imunizar contra o coronavírus e disse após a vacinação que se sentia alegre e contente por finalmente poder se imunizar contra a doença.

“Todo mundo tem que ser vacinado. Me sinto mais alegre e contente por poder conversar mais com as pessoas. Uma vez que você é vacinado, já se sente melhor”, afirmou.

Lombardi também falou sobre o medo que algumas pessoas ainda têm da vacina contra a Covid-19 e deu um conselho aos idosos na da faixa etária dele: “Não tenham medo. Se vacinar é a parte principal da vida. É o mais seguro para a saúde”, disse o italiano.

Sobre o fato de chegar sozinho do drive-thru do Anhembi para tomar vacina, mesmo aos 97 anos, Lombardi disse que dirigir é “uma especialidade dele” e, como bom italiano, precisava se apressar a voltar para casa para “comer uma macarronada preparada por ele mesmo”.

Do G1
Foto: Reprodução/SMSSP

Fátima conserta tragédia fiscal herdada, afirma Mineiro

O secretário estadual de Gestão e Projetos e Relações Institucionais, Fernando Mineiro, afirmou que a governadora Fátima Bezerra não fala tanto sobre os problemas de equilíbrio financeiro e orçamentário do Estado, porque prefere gastar energia “fazendo muito para consertar a tragédia fiscal herdada de governos passados”.

A declaração foi em resposta aos ex-governadores e ex-senadores Garibaldi Filho e José Agripino, que em entrevistas publicadas na edição de domingo (07) da TRIBUNA DO NORTE, fizeram críticas à gestão do atual governo, embora tenham reconhecido as dificuldades adicionais provocadas pela pandemia do coronavírus. O secretário disse que quando os dois conhecerem melhor “o que está acontecendo vão mudar de opinião sobre o governo”.

Fernando Mineiro, em um publicação nas redes sociais, se referiu diretamente a Garibaldi Filho. “Estou ‘on’ para informar ao ex-governador Garibaldi que a governadora Fátima não fala muito nisso, porque gasta energia fazendo muito para consertar a tragédia fiscal herdada de governos passados (assim mesmo no plural). Desde organizar a contabilidade do estado até a reforma da Previdência”, destacou o secretário de Gestão e Projetos, que respondeu à declaração do ex-senador. Em um trecho da entrevista, Garibaldi disse que não vê a governadora preocupada e empenhada em tirar o Estado da situação de desequilíbrio fiscal. Garibaldi comentou também que para ter êxito nesta área, a Fátima Bezerra deveria ter adotado medidas no início da gestão.

O senador José Agripino afirmou, em entrevista publicada também na edição de domingo (07), que reconhece méritos nas iniciativas para colocar o pagamento dos salários em dia, mas um governo não pode se limitar à gestão da folha de pessoal.

Repercussão

Fernando Mineiro disse que, ao manter em dia a folha, e “fazer um esforço para pagar atrasados [que recebeu da gestão anterior]”, o governo não beneficia apenas servidores públicos estaduais. “Os beneficiados [também] são as empresas e o comércio do Rio Grande do Norte, porque com esse dinheiro os servidores não vão colocar na especulação financeira, mas volta imediatamente, uma vez que ao ser pago é injetado na economia, no outro dia ele está na feira livre, no supermercado, na bodega, na padaria, girando a economia”, destacou o secretário.

Mineiro disse que a renda pública “tem um peso na vida econômica do Estado e não é só beneficiar o servidor diretamente” e, depois, exemplificou que todos os indicadores sociais nas áreas de segurança e saúde, “tirando a questão da pandemia, melhoraram”.

O secretário de Relações Institucionais do Governo citou que o RN tem hoje um sistema público contábil que “não existia e avançou” em comparação a outros estados, bem como o governo “enfrentou o problema crônico da Previdência”, depois de muito debate e ainda criou o novo Programa de Incentivos Fiscais (Proedi), que “colocou o Rio Grande do Norte em outro patamar” quanto à presença de indústrias.

“São ações que o governo vem fazendo com muita seriedade, cuidado e firmeza, além de ter melhorado no ranking da transparência”, continuou Mineiro, para quem a preocupação da governadora Fátima Bezerra com a questão fiscal “é clara e reconhecida”.

O secretário de Gestão e Projetos afirma que governo tem várias obras estruturantes, investindo no “Governo Cidadão” cerca de R$ 300 milhões. “A saúde do Estado hoje é outra. Há o esforço concentrado que o governo fez para enfrentar a pandemia de coronavírus”, afora pactuações com as prefeituras e estruturações de hospitais regionais e outros projetos fundamentais para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, como as obras das barragens de Oiticica e das Traíras, na região do Seridó”, disse.

Para Fernando Mineiro, na medida em que os ex-governadores Garibaldi Filho e José Agripino, que hoje são vice-presidente e presidente das Executivas estaduais do MDB e DEM, “conhecerem o que de fato o que está acontecendo, vão mudar de opinião”.

Segundo Fernando Mineiro, “jogar uma farpa aqui e acolá, faz parte da política”.

“Câmara cumpre ritos regimentais para a posse”

O secretário de Relações Institucionais do Governo, Fernando Mineiro, afirmou que “está aguardando a data da posse” na cadeira de deputado federal. “Já está claro para todo mundo que vem acompanhando a política, o que aconteceu em 2018 aqui, e a Câmara certamente nos dará posse, porque está cumprindo os ritos regimentais, não tenho a menor dúvida”, disse.

Fernando Mineiro refere-se ao prazo de cinco dias dados pelo corregedor da Câmara dos Deputados, deputado Paulo Bengtson (PTB/PA), e que se expira hoje, para o deputado Beto Rosado (PP-RN) fazer sua defesa por escrito sobre a comunicação da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte, retirando o seu mandato em virtude da anulação de 8.990 votos dados a Kericlis Alves Oliveira nas eleições de 2018 e somou para a coligação “100% RN”.

Segundo Mineiro, o deputado Beto Rosado “não tem o que defender, ele já é suplente, porque tinha que sair para eu ocupar a vaga que o povo me deu”.

Mineiro disse que assumindo o mandato na Câmara Federal, manterá um alinhamento entre as questões locais e nacionais, porque uma coisa é decorrente da outra. “A nossa voz lá é para se somar ao lado do nosso governo e contribuir para o Estado e, evidentemente, vamos seguir as orientações nacionais, contribuído para esse debate”.

Com relação às eleições de 2022, Fernando Mineiro acredita que a governadora Fátima Bezerra estará bem posicionada para tentar a reeleição, repetindo pelo menos o resultado de 2018, quando foi eleita em segundo turno com 57,60% dos votos válidos.

“Pelo trabalho que a governadora vem fazendo, tenho certeza de que o desempenho será muito melhor, mas ‘2022 nós vamos discutir em 2022’, estou muito otimista, primeiro pelo quadro que existe hoje, porque havia uma aposta e uma torcida para que a governadora fracassasse e é o contrário, a governadora está mostrando sua competência e capacidade, um governo coeso e integrado, a governadora e o vice-governador (Antenor Roberto) e secretários não trabalham de forma isolada”.

Mineiro disse também que “isso tem feito, que está sendo reconhecido, inclusive em setores que eram oposição, mas percebe que a capacidade da gestão e do atual governo”.

TRIBUNA DO NORTE
Foto: Divulgação

Wuhan

Para OMS, não há evidência de que mercado de Wuhan foi epicentro da pandemia

Não há informação suficiente para estabelecer que o epicentro da pandemia de Covid-19 tenha sido o mercado de frutos do mar de Huanan, local do primeiro grupo conhecido de infecções na cidade chinesa de Wuhan, afrimou nesta terça (9) a comissão comandada pela OMS (Oganização Mundial da Saúde) para pesquisar a origem do Sars-Cov-2.

A equipe chegou em 14 de janeiro à cidade de Wuhan, onde o coronavírus foi identificado pela primeira vez, no final de 2019 e, depois de duas semanas de quarentena, visitou o mercado em Wuhan, entre outros locais, e reuniu-se com especialistas do Instituto de Virologia de Wuhan, que pesquisa o novo coronavírus.

De acordo com Ben Embarek, especialista em segurança alimentar e doenças animais da OMS e presidente da equipe de investigação, os resultados trouxeram mais detalhes sobre a origem da pandemia, mas “não mudaram substancialmente as hipóteses originais”.

Também não foi possível identificar a fonte animal específica da transmissão de coronavírus para humanos.

Segundo Liang Wannian, chefe do painel de especialistas Covid-19 na Comissão Nacional de Saúde da China, as linhagens já sequenciadas em morcegos e pangolins, apontados como as mais prováveis origens do Sars-Cov-2, não são suficientemente similares ao patógeno para garantir essa associação.

Além disso, a alta suscetibilidade de visons e gatos ao coronavírus indica que outras espécies também possam ser reservatórios do vírus que se disseminou depois na pandemia.

Ben Embarek disse também que foram feitas pesquisas em várias espécies animais e não foi constatada contaminação relevante que permitisse especificar um hospedeiro original.

De acordo com Liang, sequenciamentos mostram que o Sars-Cov-2 estava circulando algumas semanas antes que os casos começassem a ser relatados em Wuhan, mas a revisão de dados e amostras de hospitais, bancos de sangue e centros de vigilância sanitária da região não indicam que o patógeno tivesse contaminado humanso antes de dezembro de 2019.

O chefe do painel de especialistas chinês afirmou que a revisão dos dados de mortes por pneumonia, tanto em Wuhan quanto na província de Hubei, de junho a dezembro de 2019, não mostram evidência de transmissão do Sars-Cov-2 na população antes de dezembro de 2019.

De acordo com Ben Embarek, especialista em segurança alimentar e doenças animais da OMS e presidente da equipe de investigação, as investigações mostram que havia circulação do Sars-Cov-2 em outros locais além do mercado de frutos do mar de Huanan. Há registros de contágio em outros mercados de alimentos de Wuhan e também de infecções não relacionadas a mercados.

Na semana passada, um dos membros da equipe, o especialista em doenças infecciosas Dominic Dwyer, disse que seriam necessários anos para entender completamente as origens da Covid-19.

FOLHA DE SÃO PAULO
Foto: Nicolas Asfouri

Demissão por justa causa

Trabalhador que não se vacinar pode ser demitido por justa causa, diz MPT

Os trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19 poderão ser demitidos por justa causa, de acordo com o MPT (Ministério Público do Trabalho).

O órgão elaborou um guia interno para orientar a atuação dos procuradores. “Como o STF já se pronunciou em 3 ações, a recusa à vacina permite a imposição de consequências, como a demissão por justa causa”, diz o procurador-geral do MPT, Alberto Balazeiro, ao jornal O Estado de S. Paulo.

No ano passado, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que o Estado pode impor medidas restritivas àqueles que se recusarem a tomar o imunizante, embora não possa forçar ninguém a ser vacinado. As ações poderiam incluir multa, proibição a se matricular em escolas e o impedimento à entrada em determinados lugares.

“Sem uma recusa justificada, a empresa pode passar ao roteiro de sanções, que incluem advertência, suspensão, reiteração e demissão por justa causa. A justa causa é a última das hipóteses”, declara o procurador-geral do MPT.

Balazeiro ressalta que a empresa precisa incluir em seu PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) o risco de contágio pelo coronavírus e acrescentar a vacina ao PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

“A recusa em tomar vacina não pode ser automaticamente uma demissão por justa causa. Todos temos amigos e parentes que recebem diariamente fake news sobre vacinas. O primeiro papel do empregador é trabalhar com informação para os empregados”, afirma o procurador-geral.

As empresas devem seguir o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, que determina os grupos prioritários para a vacinação.

Caberá ao trabalhador comprovar a sua impossibilidade de receber o imunizante, quando estiver disponível, com a apresentação de documento médico. Mulheres grávidas, pessoas alérgicas a componentes das vacinas ou portadoras de doenças que afetam o sistema imunológico, por exemplo, não precisam tomar o imunizante. Nesses casos, a empresa precisará negociar para manter o funcionário em home office ou no regime de teletrabalho.

“A saúde não se negocia quanto ao conteúdo, mas sim quanto à forma. Não posso negociar para que uma pessoa não use máscara, mas posso negociar se ela vai ficar em casa. O limite é a saúde, que é um bem coletivo”, diz o procurador-geral.

Na demissão por justa causa, o funcionário tem direito apenas ao recebimento do salário e das férias proporcionais ao tempo trabalhado. Ele fica impedido de receber o aviso prévio e 13° salário proporcional.

PODER 360
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

terceira dose

Terceira dose de vacina pode ser necessária contra variantes da covid-19

O surgimento de variantes do Sars-CoV-2, coronavírus responsável pela covid-19, preocupou a comunidade científica e os laboratórios que desenvolvem imunizantes contra a doença. Cientistas analisam que pode ser necessária uma dose de reforço para melhor proteção.

Até o momento, as principais variações são as oriundas do Reino Unido, da África do Sul e do Brasil.

Laboratórios como Moderna, Pfizer/BioNTech e Johnson & Johnson já apresentaram os resultados de estudos que analisam o comportamento de suas vacinas contra essas variantes. As pesquisas apontam que elas são eficazes na proteção contra as formas graves da covid-19.

Os imunizantes, no entanto, fazem com que o sistema imunológico humano produza uma quantidade um pouco menor de anticorpos do que o normal ao entrar em contato com as novas formas do coronavírus –em especial as da África do Sul e do Brasil.

“O que apareceu nesses dados preliminares é que houve uma queda no percentual de pessoas que não tiveram nenhum sintoma. Mas não teve aumento no percentual de casos graves”, diz o virologista Felipe Naveca à BBC News Brasil. Ele é pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e participou do 1º sequenciamento da variante brasileira.

Segundo Naveca, o mais importante é que o imunizante proteja das formas graves da doença. “Agora, se os estudos demonstrarem queda de eficácia nesse sentido, provavelmente as pessoas já vacinadas precisarão ser reimunizadas, com vacina adaptada, ou tomar uma dose adicional”, afirma.

O virologista Julian Tang, professor da Universidade de Leicester, no Reino Unido, concorda. “Pessoas que já se vacinaram poderão ter que tomar mais uma dose, quando adaptações das vacinas forem concluídas para proteger contra variantes”, fala à BBC News Brasil.

O ministro da Saúde do Reino Unido, Edward Argar, anunciou nessa 2ª feira (8.fev.2021) que o governo britânico estava prevendo imunização anual contra a covid-19, como já é feito com a vacina da gripe.

“Nessa mesma época no ano passado, tínhamos o vírus que surgiu em Wuhan, na China. Neste ano, já temos 3 variantes que causam preocupação. Nesse período do ano que vem, poderemos ter mais variantes. Então, é possível que a vacina tenha que ser atualizada todo ano para acompanhar esse ritmo”, declara Tang.

As farmacêuticas estão adaptando as suas vacinas para uma melhor resposta a mutações do coronavírus.

O laboratório farmacêutico britânico GSK (GlaxoSmithKline), por exemplo, anunciou que se uniu ao alemão CureVac para desenvolverem em conjunto uma vacina contra as novas variantes. Eles esperam que o imunizante esteja pronto em 2022.

PODER 360
Foto: Hakan Nural/Unsplash

Nova variante do coronavírus é encontrada em morador de Goiás

Nova variante do coronavírus é identificada em morador de Goiás

O Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, identificou uma nova variante do coronavírus em um morador de Goiás. Segundo o G1, a variante, chamada de P2, é diferente das cepas encontradas em Manaus, no Reino Unido e na África do Sul.

O secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, afirmou nessa 2ª feira (8.fev.2021) que a nova variante é estrangeira e que já estava circulando no Brasil. A análise feita pelo Adolfo Lutz não confirmou se a nova cepa é mais agressiva que as já conhecidas.

A análise feita pelo Adolfo Lutz revela que o caso é de uma reinfecção.

“Os dados dos sequenciamentos realizados apresentados, ficando confirmada, do ponto de vista laboratorial, a reinfecção pelo Sars-CoV-2 no Estado de Goiás, considerando tratar-se de linhagens/variantes distintas em amostras do mesmo paciente, com intervalo superior a 90 dias”, diz o resultado do laudo.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) a variante brasileira originada em Manaus, chamada de P1, já está presente em pelo menos 8 países: Brasil, Japão, Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Alemanha, Coreia do Sul e Irlanda.

O ministro da Saúde da Argentina, González García, declarou nessa 2ª feira (8.fev.2020) que o país encontrou duas variantes do coronavírus em 4 viajantes que saíram do Brasil: a de Manaus e a do Rio de Janeiro.

PODER 360
Foto: Reprodução

José Maranhão morre em São Paulo vítima do novo coronavírus

José Maranhão, senador pela PB, morre de covid em SP

O senador José Maranhão (MDB-PB), 87 anos, morreu nesta 2ª feira (8.fev.2021) por complicações decorrentes da covid-19. Ele estava internado desde 29 de novembro de 2020. Foi transferido para UTI do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, em 3 de dezembro. O corpo do congressista será enterrado em Araruna (PB), sua cidade natal.

Maranhão era o senador mais velho da legislatura atual e também o presidente do MDB na Paraíba. Estava de licença desde 12 de janeiro.

A senadora Nilda Gondim (MDB-PB) era sua suplente. Já havia tomado posse durante a licença do Senador e agora será sua sucessora. A congressista, que ingressou na política em 2009, é mãe do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Vital do Rêgo Filho.

José Maranhão foi o 2º senador a morrer de covid-19. Arolde de Oliveira (PSD-RJ) morreu da doença em 21 de outubro, aos 83 anos.

GRUPO DE RISCO

Apesar de estar em grupo de risco, Maranhão era visto constantemente em locais públicos sem máscara. Durante a campanha eleitoral de 2020, publicou diversas fotos em meio a aglomerações, aumentando o risco de contágio.

Em setembro, participou da inauguração da Usina Solar Coremas, em João Pessoa, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. O senador e o chefe do Executivo estavam sem o equipamento de proteção.

José Maranhão também esteve em aglomerações e sem máscara de proteção durante a campanha eleitoral de 2020.

PODER 360
Foto: Pedro França/Agência Senado

Empresas do Parque Metrópole, em Natal, oferecem vagas de emprego

Na foto, Rodrigo Romão, diretor adjunto do Parque Tecnológico Metrópole Digital

Em um período marcado por demissões e até falências provocadas pela crise socioeconômica da pandemia do Coronavírus, empresas vinculadas ao Parque Tecnológico Metrópole Digital – principal polo de tecnologia de Natal (RN) – estão oferecendo mais de 55 vagas de emprego, dentre ocupações CLT e estágios, nas áreas de TI e outros campos.

Com remunerações entre R$ 750 a R$ 8 mil, as vagas são acessíveis por meio da plataforma Jerimum Jobs – portal que conecta empresas a talentos em diferentes áreas. Até o momento, são 13 empresas ligadas ao Parque Tecnológico a cadastrarem oportunidades e a previsão é que esse número aumente ainda mais nos próximos dias.

Segundo Raphaela Galhardo, diretora de gestão da ESIG – empresa com 25 vagas abertas – muitos negócios tiveram que acelerar sua digitalização durante a pandemia, o que contribuiu para o crescimento da demanda por colaboradores.

“Houve uma mudança cultural abrupta, onde muitas atividades só puderam ser desempenhadas pelo meio digital. Houve a inclusão de muito mais pessoas e empresas na cultura digital e isso fortaleceu a área de tecnologia, gerando mais demanda para o setor”, destaca Galhardo.

Contexto de crise

De acordo com o diretor do Parque Tecnológico, Rodrigo Romão, a crescente demanda das empresas de TI advém da necessidade de criação de soluções tecnológicas no contexto de crise.

“A pandemia trouxe ao mercado de trabalho uma exigência abrupta de adaptação em decorrência do necessário distanciamento social. O segmento de TI, nas diversas áreas de atuação, foi quem propiciou a adaptação, permanência e sobrevivência de muitos negócios”, afirma Rodrigo Romão.

Ainda segundo o diretor, “há quem diga, de maneira humorada, que passamos por uma revolução chamada ‘Transformação Covi Digital’, visto que a pandemia ‘forçou’ a adoção de novas tecnologias e a derrubada de alguns mitos, como o trabalho remoto”.

Com 67 empresas credenciadas e reunindo cerca de 900 postos de trabalho, o Parque Tecnológico proporciona estreito relacionamento entre mercado, governo e instituições de ensino, de modo a facilitar o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte.

A iniciativa criada pelo Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (IMD/UFRN), também visa apoiar as ações relacionadas ao campo da ciência, tecnologia, empreendedorismo e inovação.

No âmbito do mercado de trabalho, o polo de tecnologia conta com o Jerimum Jobs – plataforma que já reúne 120 empresas e 1,4 mil usuários cadastrados.

A ferramenta visa conectar empreendimentos de TI vinculados ao Parque Tecnológico, bem como outras iniciativas, como projetos de pesquisa, com profissionais de diversas áreas e formações.

Empresas externas ao Parque, ou inseridas em áreas fora da TI, também podem cadastrar suas oportunidades, desde que as vagas ou a empresa sejam do setor tecnológico e os locais de trabalho estejam situados no Rio Grande do Norte.

Oportunidades:

• 5 vagas – Surfmappers

• 3 vagas – Rits Tecnologia

• 3 vagas – Log Tecnologia e Sistemas

• 3 vagas – Construtor Digital

• 2 vagas – Hirix Software & Technology

• 1 vaga – Logique Sistemas

Da Tribuna do Norte
Foto: Adriano Abreu

Hackers podem ter adulterado mensagens de procuradores, diz Lava Jato

Ao contestarem o uso de mensagens roubadas da força-tarefa, os procuradores da Lava Jato também disseram que, antes da apreensão dos equipamentos usados por hackers para a invasão de suas contas no Telegram, “pode ter havido inúmeras adulterações e edições das cópias”.

Desde a semana passada, a defesa de Lula, que obteve o material pelas mãos de Ricardo Lewandowski, vem anexando ao processo no STF trechos dos diálogos, extraídos dos arquivos por um perito particular.

Segundo os procuradores, essa perícia não atesta a integridade ou autenticidade das conversas, uma vez que apenas que não garante que as mensagens tenham sido alteradas no passado. Só atesta que elas não sofreram adulterações após sua apreensão.

“A perícia realizada no material não atestou – e nem poderia – que o material apreendido é o mesmo material que era mantido nas contas de Telegram das autoridades hackeadas. Isso porque, antes de sua apreensão, o material ficou por longo tempo em poder do hacker e pode ter havido inúmeras adulterações e edições das cópias, o que torna a prova imprestável. Some-se que o material foi apreendido com hackers com extensa ficha criminal, que inclui delitos de fraudes e falsidades”, diz ofício enviado ao STJ, à PGR e ao CNMP.

Outra possibilidade de falsidade das conversas ocorre pelo próprio modo como as invasões ocorreram, segundo os procuradores.

“Há evidências na operação Spoofing inclusive de que os hackers se fizeram passar pelos donos das contas e travaram conversas totalmente falsas com terceiros. Assim, não se tratou apenas do hackeamento de uma cópia, mas de acesso ao aplicativo em paralelo ao real titular da conta, com todas as prerrogativas deste. Como o telegram permite que quem acesse online as contas edite ou apague mensagens, sem que isso fique registrado no curso das conversas, o hacker teve acesso à livre adulteração das conversas com as prerrogativas de titular das contas.”

De O Antagonista
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Luiza Trajano, dona da Magazine Luiza, lança movimento para levar vacinas a todos os brasileiros até setembro

SÃO PAULO – Um grupo de empresários e entidades, capitaneados por Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza, e seu Grupo Mulheres do Brasil, está lançando o Unidos pela Vacina, movimento que visa facilitar a chegada do imunizante contra a Covid-19 a todos os brasileiros até setembro.

Diferente do movimento empresarial anunciado em janeiro, que queria comprar vacinas doando ao menos metade das doses ao SUS e retendo a outra parte para seus funcionários, o objetivo desta iniciativa é resolver os entraves da vacinação pública, apoiando o Sistema Único de Saúde.

“O nosso objetivo é vacinar todos os Brasileiros até setembro deste ano. Sim, vacina para todos até setembro deste ano! A gente não discute política, não procura culpado. A gente discute sim, como levar a vacina até todas as pessoas do nosso país”, escreveu Trajano em uma rede social ao apresentar o logotipo da campanha, desenvolvida por Nizan Guanaes.

O movimento planeja várias frentes, como facilitar a aquisição e produção de insumos, como seringas e agulhas, e ajudar na fabricação dos imunizantes, com o auxílio na logística e solução de problemas da Fiocruz e do Instituto Butantan.

— Queremos usar nossa experiência, nossa força, para ajudar a destravar os problemas. Por exemplo, coisas que pelo rito normal demoraria um mês, queremos solucionar em 15 dias — afirmou Marisa Cesar, CEO do Grupo Mulheres do Brasil.

O ponto mais visível da atuação, contudo, será uma campanha publicitária em prol da vacina, que será veiculada em todo o país, em parceria com redes de TV. A ideia é reduzir a resistência à vacina, em um primeiro momento, e depois dar esclarecimentos práticos de como tomar o imunizante.

— Tem muita gente jogando contra, muitas pessoas com resistência à vacina, precisamos esclarecer isso — afirmou Cesar.

Durante a semana haverá a apresentação formal do grupo, com as ações e medidas que serão tomadas. Algumas entidades, como a Federação Nacional de Bancos (Febraban) devem apoiar a iniciativa.

Economistas afirmam que a vacinação é fundamental para a retomada da economia, além da questão sanitária. O Itaú Unibanco, por exemplo, informou na semana passada que se o ritmo de vacinação for lento, o crescimento do PIB neste ano será metade do previsto.

Do O Globo
Foto: Patricia Monteiro / Bloomberg

Bolsonaro: “Querem tirar a mim e botar quem no lugar?”

Jair Bolsonaro, assim como ACM Neto e Ronaldo Caiado, do DEM chapa-branca, também atacou Rodrigo Maia:

“Hoje, tem declarações na imprensa. Esse cara que saiu da Câmara agora diz que vai agora encarnar a verdadeira oposição ao meu governo. Ele não tem que ser oposição ao meu governo. Tem que ser favorável ao Brasil. Porque, quando se faz política barata, o povo sofre.”

Ele comentou a possibilidade de impeachment:

“Impeachment vai resolver o quê? Querem tirar a mim e botar quem no lugar? Esse ‘quem’ podia nos ajudar com soluções agora. Eu tenho humildade para acolher qualquer sugestão.”

Quem tem de entrar em seu lugar, em caso de impeachment, é Hamilton Mourão.

Do O Antagonista
Foto: Marcos Corrêa/PR

Banco do Brasil confirma adesão de 5.533 funcionários ao programa de desligamento

O Banco do Brasil confirmou, nesta segunda-feira (8/2), que 5.533 funcionários aderiram ao programa de demissão voluntária. Desse total, 4.093 (74%) deixaram a instituição financeira para se aposentarem.

O BB comunicou ao mercado que os cortes foram validados, após o fim das etapas de manifestação de interesse na demissão voluntária. A instituição bancária anunciou, no dia 11 de janeiro, dois programas para reduzir o quantitativo de empregados.

O resultado do Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e do Programa de Desligamento Extraordinário (PDE) saiu conforme a estimativa, já que a expectativa era de cortar pelo menos 5 mil funcionários.

Do Metropoles
Foto:Joka Madruga/SEEB Curitiba – Ilustração/Fotos Públicas

ABIH-RN registra queda de 25% na ocupação para o Carnaval 2021

O Carnaval 2020 foi um dos últimos grandes feriados antes do início da pandemia no estado do Rio Grande do Norte, e nessa época foi registrado uma ocupação de quase 90% tanto na hotelaria de Natal quanto de Pipa, os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN). Em 2021, com as festividades canceladas, ponto facultativo suspenso e o feriado revogado por motivos de precaução a segurança sanitária, a ocupação na hotelaria dos dois maiores destinos turísticos do estado beira aos 68%.

Um número desestimulante para os empresários do turismo que fecharam suas portas por quase seis meses durante a pandemia do COVID-19, deixando muitos dos 55 segmentos que dependem diretamente desse setor com baixas expectativas.

Para se ter uma noção, em janeiro de 2020, período pré-pandemia, a ocupação hoteleira na capital Natal foi de 82%, em Pipa chegou a 83%. Para janeiro desse ano, Natal e Pipa apresentaram 68% de ocupação, cada. Uma queda de aproximadamente 17%, o que é considerado um número ruim visto que janeiro é um dos meses mais movimentados e lucrativos para o setor de turismo no geral.

Para os demais destinos do RN, foi registrado uma média de 87% em São Miguel do Gostoso, 54% em Mossoró e 43% em Extremoz. Com esses resultados do primeiro mês do ano, a esperança é que durante o feriado de carnaval a hotelaria potiguar como um todo atinja apenas 57% de ocupação, uma queda de aproximadamente 25% em relação ao ano anterior.

“Esperamos que a população esteja vacinada o mais rápido possível. A economia precisa retomar, não podemos perder outros feriados, a crise da pandemia já deixou muitos prejuízos para o setor. Precisamos também continuar intensificando cada vez mais a divulgação do nosso destino a nível regional e, consequentemente, nacional, que são os principais focos de turistas que estamos recebendo neste momento, para que tenhamos uma retomada gradativa e consistente do turismo potiguar, a indústria que mais gera empregos no Rio Grande do Norte”, ressaltou o presidente da ABIH-RN, Abdon Gosson.

Foto: Canindé Soares

Gasolina e diesel ficarão mais caros amanhã; ‘Vai ser chiadeira com razão’, diz Bolsonaro

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 8, que o novo reajuste de combustíveis anunciado pela Petrobrás deve provocar uma “chiadeira com razão”, mas que ele não pode intervir na estatal. O presidente informou que deve se reunir ainda nesta segunda com a equipe econômica para “bater o martelo” sobre a redução do PIS/Cofins no preço do diesel.

“Não é novidade para ninguém: está previsto um novo reajuste de combustível para os próximos dias, está previsto. Vai ser uma chiadeira com razão? Vai. Eu tenho influência sobre a Petrobrás? Não”, disse Bolsonaro a apoiadores na porta do Palácio da Alvorada.

Nesta segunda, a Petrobrás anunciou aumentos dos preços médios de venda às distribuidoras da , diesel e GLP, gás de cozinha, que deverá vigorar a partir de terça-feira, 9.

O preço médio de venda de gasolina nas refinarias da Petrobrás passará a ser de R$ 2,25 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,17 por litro. O preço médio de venda de diesel passará a ser de R$ 2,24 por litro, refletindo aumento médio de R$ 0,13 por litro.

É a terceira alta do ano nos preços da gasolina e a segunda no valor do litro do diesel. Desde o início do ano, a Petrobrás já elevou em 22% o preço da gasolina – em dezembro, o litro custava R$ 1,84.

O diesel subiu 10,9%. Com as novas altas, o litro da gasolina passou a custar mais caro que o do diesel às distribuidoras.

“Daí o cara fala ‘você é presidente do quê?’ Ô, cara. Vocês votaram em mim e tem um monte de lei aí. Ou cumpre a lei ou vou ser ditador. E para ser ditador vira uma bagunça o negócio e ninguém quer ser ditador e… isso não passa pela cabeça da gente”, afirmou Bolsonaro.

Na sexta-feira, 5, o presidente convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que pretendia apresentar um projeto de lei ao Congresso para mudar a cobrança do ICMS, imposto estadual, sobre combustíveis. A ideia é que ela seja feita por um valor fixo (e não um porcentual) ou que fosse cobrado na refinaria (e não na bomba como é hoje).

Em nota, os secretários estaduais de Fazenda rebateram, dizendo que o alto custo dos combustíveis se deve à política de preços da Petrobrás – e não ao peso do imposto estadual.

“O preço da refinaria é menos da metade do preço da bomba. Isso é fato. O preço na bomba é mais do dobro da refinaria. O quê que encarece? São os impostos e mais outras coisas também. O imposto federal é alto, o estadual é alto, a margem de lucro das distribuidoras é grande e a margem de lucro dos postos também é grande. Então, está todo mundo errado, no meu entendimento, pode ser que eu esteja equivocado”, disse Bolsonaro.

Em outra frente, o Ministério da Economia também avalia a redução de PIS/Cofins sobre o diesel para atenuar o efeito do aumento no preço do combustível sobre o bolso dos caminhoneiros. Técnicos, porém, alertam que a medida só deve prosperar se houver compensação, ou seja, elevação de outro tributo ou corte de subsídio. Bolsonaro ressaltou que cada centavo de redução no PIS/Cofins sobre o diesel teria impacto de R$ 800 milhões nos cofres públicos.

Como mostrou o Estadão, estão em estudo limitar a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de carros com valor mais alto, como SUVs, para pessoas com deficiência e acabar com renúncias tributárias para o setor petroquímico. As duas medidas podem garantir receita de R$ 2 bilhões aos cofres públicos.

Na sexta-feira, a Petrobrás anunciou em comunicado a investidores que mudou sua política de preços de reajustes trimestrais para anuais. A modificação foi feita no primeiro semestre do ano passado, mas só foi comunicada pela empresa depois de revelada pela agência de notícias Reuters, o que pegou o mercado de surpresa e levantou dúvidas sobre a transparência da decisão.

Do Estadão
Foto: Marcos Corrêa/PR

Para compensar fim do auxílio emergencial, governo estuda benefício de R$ 200 por três meses

O governo já estuda criar o Benefício de Inclusão Produtiva pelos próximos três meses para compensar o fim do auxílio emergencial. O valor de R$ 200 por mês será pago para até 30 milhões de pessoas que não tem carteira assinada e estão fora do Bolsa Família.

Também está em estudo um aumento transitório do valor médio para quem já recebe o Bolsa Família. A ideia é deixar explícita a separação entre assistência social e benefício pontual para o trabalhador.

Segundo uma fonte do governo, esses três meses serão uma espécie de “período de avaliação”. Caso a pandemia permaneça com o estágio de gravidade atual, com número elevado de mortes, teria que ser acionada uma “cláusula de emergência” com compensações para garantir o equilíbrio fiscal.

Nesses próximos dias, integrantes da equipe econômica e da articulação política do governo vão iniciar conversas com deputados e senadores para negociar aprovação imediata dessa cláusula dentro da PEC do Pacto Federativo.

“Se tiver um ano de guerra, teremos dois anos sem aumento de salário. Não podemos comprometer o futuro de filhos e netos”, disse um integrante da equipe econômica, resumindo o espírito dessa cláusula para períodos emergenciais como o de calamidade pública, onde haverá desindexação de salários entre outras medidas duras do ponto de vista fiscal.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já iniciou conversas nos últimos dias com os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara, Arthur Lira sobre o cenário atual. Segundo relatos, o ministro já reconheceu que será preciso uma solução rápida para a crise, mas sem comprometer as futuras gerações. Nesta segunda, Guedes deverá se encontrar novamente com o senador Rodrigo Pacheco.

Segundo integrantes da equipe econômica, o protocolo de crise já foi acionado como no ano passado, com antecipação do 13º salário e do abono salarial. Mas para novos gastos, será preciso aprovar a cláusula emergencial por causa das limitações constitucionais do teto de gastos e da regra de ouro.

No ano passado, foi aprovada a PEC do Orçamento de Guerra, que permitiu o pagamento do auxílio emergencial e de outras medidas. Mas agora, o governo quer uma solução definitiva dentro do Pacto Federativo.

“Mesmo que o Pacto Federativo demore mais um pouco para aprovar, é fundamental que nesses três meses essa cláusula emergencial seja aprovada pelo Congresso. Não podemos ter uma farra fiscal ou um ambiente de irresponsabilidade”, alertou um integrante do governo.

“Precisamos ter um escudo para proteger as futuras gerações. Se não há coragem de fazer isso em tempo de paz, tem que fazer em tempo de guerra”, completou.

Do G1- Blog do Camarotti
Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

BBB 21: Lucas Penteado tem recepção calorosa e alcança 7 milhões de seguidores no Instagram

Se dentro do BBB Lucas sofreu forte rejeição por grande parte de seus colegas de confinamento, o mesmo não se pode dizer da relação do ator com o público que acompanhou o reality. Ele desembarcou no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e foi direto para a casa dele, no bairro da Bela Vista, de onde publicou uma série de stories em seu Instagram e vídeos no Twitter neste domingo (7) nos quais, emocionado, agradece ao apoio dos fãs e mostra a calorosa recepção que recebeu. O ex-brother chegou aos sete milhões de seguidores no Instagram.

“Agradecemos à rede de afeto em torno do ator Lucas Penteado. Ele, encontra-se bem e em momento mais oportuno, se pronunciará em relação às demandas da imprensa”, diz comunicado na página oficial do ator. Tiago Leifert também usou as redes sociais para acalmar os fãs do ex-BBB e desejar sorte a Lucas.

“Acabei de conversar com Lucas. Ele está bem e sorrindo como sempre. Tenho certeza que vão se abrir muitas oportunidades e que ele sai gigante! O jogo segue. Ao Lucas, o meu carinho e a total certeza de que só há coisas boas vindo por aí”, escreveu o apresentador no Instagram.

Lucas deixou o BBB na manhã deste domingo. Enquanto a Festa Holi Festival ainda estava acontecendo na área externa, o ator arrumou as malas e foi até a porta do Confessionário. Camilla de Lucas e Sarah tentaram dissuadi-lo. “Tentei ser eu de todas as formas”, lamentou Lucas. “Vocês estão me tirando.”

Já para Gilberto, ele justificou que não estava sendo compreendido pelos demais participantes. “Se ninguém entendeu [dentro da casa], o Brasil também não vai entender”, disse aos prantos. “Eu não posso mais andar no meu bairro, eu quero sair para pedir desculpas para o meu pai.”

O anúncio foi feito aos participantes logo cedo. “Vocês agora são 18, lembrem-se do que vieram fazer aqui”, limitou-se a explicar a produção dentro da casa.

FOLHA DE SÃO PAULO
Foto: Reprodução/Rede Globo

Vacinação no RN

Idosos serão prioridade na nova fase da vacinação no RN; distribuição começa hoje

O lote com 48,6 mil doses da Coronavac, que chegou ao Rio Grande do Norte no domingo (7), começa a ser distribuído para o interior potiguar. O início do deslocamento dos imunizantes estava previsto para as 7h, com saída das vacinas destinadas ao interior potiguar. Porém, houve um pequeno atraso e, às 7h10, os veículos que levarão as doses já estavam sendo carregados. Às 9h, saem as vacinas para a Região Metropolitana de Natal.

Para o deslocamento, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Secretaria Estadual de Saúde Pública designaram pessoal. Os imunizantes recebidos pela equipe Sesap vão atender os idosos, começando pelos acamados e os que estão acima dos 90 anos. Na sequência serão imunizados os idosos com mais de 85 anos, a partir da organização de cada município. Esse é o plano para a nova fase da vacinação no RN.

“Toda a logística já está pronta para fazer a distribuição aos municípios. Fazemos o apelo para que se tenha todo o cuidado no sentido de evitar aglomerações”, afirmou a governadora Fátima Bezerra. “Os idosos acamados que começarão a ser vacinados agora serão atendidos em suas casas através das equipes de saúde dos municípios. Depois daremos início à vacinação dos idosos em geral a partir dos 90 anos, de forma decrescente, do mais idoso ao menos idoso”, completou a chefe do Executivo.

A escolha desses grupos prioritários para vacinação no RN se deu conforme a disponibilidade das doses da vacina por parte do Ministério da Saúde. As doses que serão encaminhadas aos municípios seguem a divisão dos lotes anteriores, com base na estimativa populacional.

A entrega das vacinas segue os planos anteriores, com o transporte dos imunizantes até as Unidades Regionais de Saúde Pública.

TRIBUNA DO NORTE
Foto: Magnus Nascimento/Tribuna do Norte

Testagem em massa ainda é uma das formas mais eficientes contra a covid-19

Brasil segue falhando na testagem para o novo coronavírus

Após quase um ano vivendo na pandemia, o Brasil continua muito atrás de outros países na testagem, uma das mais eficientes formas de combate ao coronavírus. Há pouco mais de 22 milhões de exames realizados aqui, número inferior a outros lugares na Europa, Estados Unidos, Ásia e vizinhos da América Latina.

Para especialistas ouvidos pelo UOL, a testagem em massa teria sido o meio mais eficiente e barato de tentar controlar casos, mas nunca foi realmente efetivado por aqui. Enquanto o número de testes aumenta pelo mundo, o Brasil fica para trás e vê subir o número de mortos pela doença.

De acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde, o país realiza cerca de 105 testes a cada mil habitantes. O número é muito inferior aos países mais bem-sucedidos no combate à pandemia.

Na Nova Zelândia, que registrou apenas 25 mortes por covid, testou-se mais do que o triplo: 321 testes a cada mil habitantes, de acordo com o World in Data, da Universidade Oxford. O Canadá, que não chegou a 1 milhão de casos, realizou 462 testes para cada mil habitantes.

Até países vizinhos com poder econômico menor, apresentam números melhores. Na Argentina, são 117 testes para cada mil habitantes e, na Colômbia, 202 testes a cada mil habitantes, segundo a compilação de Oxford —que, por sinal, não tem dados do Brasil desde o apagão do Ministério da Saúde, em maio de 2020.

“Brasil está perdido na testagem”

Para especialistas ouvidos pelo UOL, os números baixos não explicam sozinhos os resultados no combate à covid, visto que os Estados Unidos, por exemplo, são o epicentro da pandemia desde abril de 2020 e realizam quase 907 testes a cada mil habitantes, mas indicam o quanto o país ainda está “perdido” no mapeamento do vírus.

“Isso mostra o grau de descontrole do mapeamento da pandemia no Brasil. Nos Estados Unidos, hoje há mais testes disponíveis do que há oito, nove meses. No Brasil, não. Segue-se testando muito pouco, não há um rastreamento [do vírus]”, afirma Monica de Bolle, professora da Universidade Johns Hopkins, que acompanha a evolução global da covid, e membro do “Observatório Covid-19 BR”.

É o que chamamos de TRIS: testagem, rastreamento e isolamento. Isso nunca fez parte da política brasileira em toda a história da pandemia. É mais barato do que aumentar leitos, o que tem sido feito aqui em todos os lugares, e você quebra a cadeia de infecção sem necessidade de medidas mais drásticas, como lockdown.
Domingos Alves, professor da USP de Ribeirão Preto (SP)

Segundo Bolle, além de o país testar pouco, tem a questão do tipo de teste feito. Para ela, no Brasil, usa-se muitos testes rápidos, menos confiáveis, que não permitem um bom rastreamento.

A testagem é fundamental por várias razões, inclusive epidemiológicas. No Brasil, nós não apenas atrasamos muito, como achamos que esses testes porcarias eram suficientes e jamais foram, nunca tiveram confiabilidade. Demoramos muito a entender a importância de testar e rastrear. Na verdade, ainda não entendemos.
Monica de Bolle, professora da Universidade Johns Hopkins

Europa: com testagem em massa, continente busca controle da segunda onda

Quando a segunda onda da pandemia atingiu a Europa, entre outubro e novembro do ano passado, os países passaram a aumentar seus números de testes em busca de mapear a transmissão do vírus, em especial de suas novas variantes.

“Na Espanha foi um escândalo. Eles foram fazer testes de todo jeito, tinha até drive-thru, e o número explodiu. Mas isso não era só o aumento de casos, é porque estava testando mais. Você testa mais, chegam mais casos, é óbvio”, afirma Alves.

Hoje, a grande maioria dos países europeus estão entre os mais testados. Na Inglaterra, são 1.067 testes para cada mil habitantes. Na Espanha, 603 para cada mil e, em Portugal, 732 para cada mil. “Eles passaram a rastrear o vírus para poder combatê-lo. É a política de contenção”, diz ele.

UOL
Foto: Vinícius Magalhães / SESI

Lava Jato

Mensagens mostram que Lava Jato antecipou delatores da Odebrecht a MP da Suíça

Diálogos de representantes do MPF (Ministério Público Federal) em aplicativo de mensagens indicam que procuradores da Lava Jato repassaram ao Ministério Público da Suíça nomes de suspeitos de envolvimento em casos de corrupção que, meses depois, fecharam acordos de delação premiada. O repasse da lista foi retribuído por uma consulta, por parte dos suíços, com outros dez nomes —com exceção de um doleiro, eles integravam a cúpula da Odebrecht.

Em chat do Telegram —apreendido em operação da PF que prendeu hackers e cujo sigilo foi levantado na segunda (1º) pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski—, procuradores da Lava Jato sugerem sigilo sobre a troca de informação. Antes de o acordo com a Odebrecht ser firmado no Brasil, o procurador Deltan Dallagnol faz no grupo uma consulta sobre o repasse a “americanos e suíços” de planilha com as penas dos delatores com a “condição de manterem confidencial”.

A cooperação internacional entre procuradores fora dos canais oficiais estabelecidos em acordos pode levar à anulação de provas.

Batizado de “Acordo Ode” (em referência à empreiteira), o chat abarca mensagens entre procuradores do MPF e membros da PGR (Procuradoria-Geral da República) de março de 2016 a setembro de 2017. O assunto principal foram os termos do que viria a ser o acordo de leniência da Odebrecht, firmado com o MPF em dezembro de 2016, mas também se discutiram as negociações da empreiteira com Estados Unidos e Suíça.

Procurado, o MPF informou que não vai se manifestar. Tanto a Lava Jato como os suíços negaram nos últimos meses a hipótese de que a cooperação entre os dois países tenha ocorrido fora dos canais oficiais. Ao UOL, a Lava Jato já sustentou contudo que “a troca de informações de inteligência e a cooperação direta entre entre autoridades estrangeiras é absolutamente legal e constitui boa prática internacional”.

‘In Off’

Em 19 de setembro e 2016, o procurador Orlando Martello escreveu: “Pessoal, passei a lista com os nomes dos possíveis nomes para acordo para Stefan (in off)”. Stefan Lenz foi o procurador suíço considerado o “cérebro” da Lava Jato naquele país. A grafia das mensagens foi preservada conforme os autos do STF.

Martello não explica aos colegas o motivo pelo qual usou o termo “in off” ao se referir à cooperação com a Suíça. O procurador continua a mensagem, copiando a resposta que recebeu de Lenz. O suíço se queixava que, na lista enviada pela Lava Jato, alguns nomes estavam faltando.

“OK Orlando. Está faltando algumas pessoas na lista”, disse Lenz, na tradução do inglês feita pela reportagem. “Eu não verifiquei todas elas. Mas tenho os seguintes nomes em mente: Fabio Gandolfo, Leandro Azevedo, Newton de Souza, Eduardo Barbosa, Renato Jose Baiardi, Aluzio Rebello Araujo, Paulo Lacerda de Melo, Carlos Mendonca Alves Dias, Renato Antonio Machado Martins (Alvaro Galliez Novis). Algum comentário sobre esses nomes?”, questiona o suíço.

Martello então afirma aos procuradores no chat: “Não perguntei ainda, mas certamente ele conhece esse pessoal por estarem envolvidos na investigação dele”.

Menos de dez minutos depois, o procurador da Lava Jato Julio Noronha compara a lista de Lenz com o que eles já tinham. “Fora os 52 da lista de pretensos colaboradores, dentro da lista daqueles cerca de ’70’ da zona cinzenta, estão: Fabio Gandolfo, Leandro Azevedo, Eduardo Barbosa, Paulo Lacerda de Melo.”

Ele porém deixa claro que alguns dos nomes citados pelo suíço não faziam parte do pacote de executivos que estavam negociando acordos de delação e que seriam assinados em dezembro de 2016. “Não estão entre os 52 e nem entre os “70”: Newton de Souza (atual CEO) Renato Jose Baiardi, Aluzio Rebello Araujo, Carlos Mendonca Alves Dias, Renato Antonio Machado Martins, Alvaro Galliez Novis”, completou.

Lista contém cúpula da Odebrecht na Lava Jato

A lista do procurador suíço faz referência a alguns dos principais executivos da Odebrecht. Fábio Gandolfo, em delação, apontou pagamento de propina sobre contrato da Linha 2-Verde do metrô de São Paulo. Outro citado na troca de informações foi Newton de Souza, executivo que assumiu o cargo de presidente da empreiteira após a prisão de Marcelo Odebrecht.

A lista ainda incluía o então diretor da Odebrecht Ambiental, Eduardo Barbosa, um amigo pessoal de Emílio Odebrecht; Renato José Baiardi, ex-presidente da Odebrecht Engenharia e Construção, além de nomes da cúpula da empresa como Leandro Azevedo, Aluzio Rebello, Paulo Lacerda de Melo, Carlos Mendonça Alves Dias. O doleiro Alvaro Galliez Novis também faz parte da lista do suíço.

Procurado pelo UOL, Lenz não explicou a troca de listas e nem se essa transmissão de nomes ocorria dentro dos canais oficiais da cooperação internacional. O ex-procurador já afirmou contudo que toda troca de dados entre Brasil e Suíça ocorreu dentro das regras.

Em 2019, reportagem do UOL mostrou, com base em conversas entregues por fonte anônima ao site The Intercept, que a Lava Jato usou sistematicamente contatos informais com autoridades da Suíça e Mônaco para obter provas. As informações foram obtidas por fora do canal oficial estabelecido em acordos de cooperação internacional de investigação.

Deltan faz consulta sobre repasse de penas acordadas pela Lava Jato

Um mês depois dos comentários de Lenz sobre nomes que faltariam na lista de delatores, os procuradores brasileiros voltam a falar sobre envio de dados ao exterior. E, mais uma vez, a questão é colocada como confidencial. Em 19 de outubro de 2016, Deltan Dallagnol, então chefe da força-tarefa de Curitiba, escreve:

Carol, posso passar a planilha para os americanos e suíços, com condição de manterem confidencial, ou há coisas mto sensíveis e melhor fornecer ponto a ponto? Rapaz, minha admiração pelo acordo que fizeram só cresce viu?

Carol, que não foi identificada pela reportagem, responde de forma positiva. Nas mensagens apreendidas, ela é apenas mencionada como “Carol PGR”. “Da minha parte não vejo problema, mas estou em Sampa ?????. Deixa ver o que pessoal do front diz. De qq forma, precisamos ter certeza que vc tem a planilha certa já com as penas ajustadas. Vai ficar chato mandarmos as penas erradas”, respondeu a Dallagnol.

Minutos depois, Dallagnol explica: “Suíça pensa em confiscar todos os bonus recebidos lá como frutos de crime. Há algumas questões que precisarão ser alinhadas com eles. Uma opção seria a Suíça enviar para cá o dinheiro, mas nesse caso a Suíça quer assegurar o ressarcimento dos outros países também. Caso a suíça confisque todo o dinheiro fora, talvez seja o caso de isentar o pagamento do percentual sobre o valor confiscado (para evitar double jeopardy), mas não considerar tudo como crédito porque não é ressarcimento feito aqui. Algo para refletirem, pq vai surgir. Por enquanto, vou pedir para mandarem os nomes e enviamos as infos”, completa.

Numa avaliação dos chats, pode-se constatar que a relação entre Lenz, na Suíça, e os brasileiros é frequente. Em 20 de abril de 2016, por exemplo, Dallagnol escreve ao grupo que o suíço recomendava que a Odebrecht mudasse de advogado.

“Caros, o Stefan (Lenz) me pediu para dizer para a empresa que se quer cooperar na Suíça teria que substituir advogados. Achei que não caberia dizer isso para a empresa, por isso coloquei a info na mesa e coloquei como algo que eles devem considerar”, disse.

Lula questionará cooperação na Justiça suíça

A troca de mensagens já levou a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a tomar a decisão de questionar na Justiça suíça a cooperação estabelecida entre os dois países. A suspeita da defesa de Lula é de que a cooperação entre os procuradores tenha ocorrido fora dos canais oficiais.

UOL
Foto: Jorge Araújo/Folhapress

Palmeiras perde na semi para o Tigres, do México

Palmeiras x Tigres: Verdão perde e se despede do Mundial

O Palmeiras viu seu sonho de conquistar o Mundial de Clubes chegar ao fim de maneira precoce. Em dia de apresentação sem brilho e pouca inspiração, foi eliminado na semifinal, em Doha, pelos mexicanos do Tigres, com derrota por 1 a 0. Os paulistas juntam-se a Atlético-MG e Internacional, que também viram a “zebra” aprontar e não alcançaram a decisão.

Depois de perder a final diante do Manchester United em 1999, numa bela apresentação, a esperança de ex-jogadores e torcedores era grande por uma reviravolta no Catar, com boa campanha e, enfim, a busca pelo tão sonhado título.

O retorno à competição, 21 anos depois, porém, foi no mínimo frustrante. Nem de perto o Palmeiras foi aquele time dominante e apontado entre os melhores do País e da América do Sul. Faltou um ímpeto ofensivo maior, apesar da luta até o apito final. Não teve o “grande lance”, a pressão, o susto. Pareceu que o time estava num jogo normal e não em uma semifinal de Mundial.

O Palmeiras tinha a obrigação de jogar melhor. Mas sucumbiu, possivelmente pela pressão por um resultado positivo no Mundial. Peças importantes sentiram e renderam pouco. Agora é repetir a campanha brilhante na temporada para buscar voltar ao Mundial o mais breve possível, pois elenco a equipe tem de sobra.

O português Abel Ferreira não quis saber de invenção e repetiu a escalação campeã da Libertadores diante do Santos, há uma semana Mesmo a equipe pouco criando naquele clássico, decidido no último lance. Deu moral a quem iniciou o jogo da conquista da América.

A ordem era marcar forte, pressionar a saída de bola e explorar a rapidez de Rony e o oportunismo de Luiz Adriano. Como os mexicanos apresentaram um futebol cadenciado na semifinal contra o Ulsan, a velocidade dos brasileiros tinha tudo para ser o diferencial contra um oponente repleto de atletas experientes, mas lentos.

O Palmeiras, contudo, demorou para encaixar seu melhor futebol no estádio Education City, em Doha. Logo de cara, um susto. Weverton fez milagre logo com três minutos. Cabeçada de González e voo do palmeirense para defender com o braço direito.

Aos poucos, o Palmeiras foi se soltando, mas necessitava de calma para furar o paredão mexicano. Com metade da etapa, tinha a bola e o domínio do campo, apesar das poucas finalizações. Sem ver o goleiro Gúzman trabalhar muito, o Tigres resolveu se soltar.

Gignac exigiu duas novas grandes defesas de Weverton antes do intervalo. Mesmo defensivo, o Tigres era perigoso quando ousava ir à frente. Não fosse o goleiro palmeirense e o placar teria sido aberto.

O Palmeiras não fez um primeiro tempo primoroso, longe disso, e necessitava de uma conversa e acerto no intervalo. Apesar de bem em uma parte da etapa inicial, faltaram finalizações e mais objetividade.

A volta para a segunda fase palmeirense seguiu abaixo do esperado. Com sete minutos, Luan agarrou o atacante na área de maneira infantil. A arbitragem viu o pênalti. Gignac bateu e Weverton desta vez não conseguiu defender, apesar de resvalar na bola.

O Palmeiras tinha menos de 40 minutos para colocar a cabeça no lugar e buscar a igualdade. Abel Ferreira nem esperou e optou pela força de Patrick de Paula e a garra de Felipe Melo para “chacoalhar” os companheiros. Lançou, ainda, Willian.

O gol, porém, foi uma ducha de água fria no Palmeiras. O time sentiu demais. A bola passou a queimar nos pés e as jogadas não eram concluídas com perfeição. Rony até empatou, mas impedido. Colocar a cabeça no lugar era necessário para a busca pela igualdade. Mas a tensão se fazia presente e o relógio jogava contra.

O Palmeiras lutou pelo empate até o fim, sem êxito. Sobrou coração, mas o grito do gol não veio. Agora é reerguer a cabeça e seguir o trabalho que vem dando frutos há tempos. A conquista do Mundial será consequência.

PALMEIRAS 0 x 1 TIGRES

PALMEIRAS – Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gómez e Vina; Danilo (Felipe Melo), Zé Rafael (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Willian) e Raphael Veiga (Gustavo Scarpa); Rony e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

TIGRES – Guzmán; Luis Rodríguez, Reyes, Salcedo e Dueñas (Mexa); Rafael Carioca, Pizarro, Quiñones (Fulgêncio) e Aquino (Sierra); Carlos González e Gignac. Técnico: Tuca Ferretti.

TRIBUNA DO NORTE
Foto: REUTERS/Mohammed Dabbous

Ocupação de leitos críticos na região metropolitana está acima dos 80%

A taxa de ocupação de leitos críticos para o tratamento da Covid-19 subiu em todo o Rio Grande do Norte. Especificamente em relação à região metropolitana, mais de 80% dos leitos intensivos e semi-intensivos dedicados aos pacientes acometidos com a infecção estão ocupados. Além disso, sete prestadores de serviço estão com 100% de seus leitos já regulados. Os dados foram retirados da plataforma RegulaRN, responsável pela atualização de dados sobre os leitos covid no Estado, na manhã desta segunda-feira (8).

De acordo com o site, 80,3% dos leitos críticos em operação na região metropolitana estão ocupados. As demais regiões do RN também apresentaram crescimento, porém abaixo dos 80% observados pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) como seguros para a continuidade da abertura econômica: Oeste (60,8%) e Seridó (77,1%).

No Estado, são 177 leitos críticos ocupados, o que corresponde uma taxa de 69,96%, percentual superior ao registrado nos últimos dias. Em relação aos leitos clínicos, 48% dos leitos estão ocupados.

Da Tribuna do Norte
Foto: Elisa Elsie

Amor Estranho Amor

Canal Brasil exibe “Amor Estranho Amor” pela primeira vez

Depois de anos fora de circulação, o filme “Amor Estranho Amor” será exibido pela 1ª vez na TV na madrugada da próxima 6ª feira (12.fev.2021), em uma sessão no Canal Brasil, do Grupo Globo.

O filme, dirigido por Walter Hugo Khouri, é estrelado por Xuxa Meneghel e foi lançado em 1982. Teve sua reprodução vetada anos depois por decisões da Justiça a favor de Xuxa, que pediu a proibição da circulação da produção audiovisual.

Xuxa, hoje com 57, à época tinha 18 anos e encenou uma prostituta que se envolveu com um menino de 12 anos. O filme causou um mal-estar para a apresentadora que passou a ser conhecida como a “Rainha dos baixinhos” por comandar programas infantis.

Apesar da antiga batalha judicial, Xuxa, segundo a sua assessoria, desistiu do bloqueio em 2018. Desde então, ela tem falado abertamente sobre o filme em entrevistas.

Em uma entrevista ao UOL, em julho do ano passado, ela não só comentou o filme como também incentivou as pessoas a assistirem a produção.

“Quem não viu, veja Amor Estranho Amor. É um filme muito legal. Aquilo lá é uma ficção, não é a minha biografia. E no mundo que a gente está vivendo, as pessoas querem me atingir falando sobre o filme, e não me atingem, porque aquilo lá é uma ficção”, disse Xuxa.

“Não gosta de mim, não tem problema. Querem me chamar de garota de programa, querem me chamar de pedófila por um filme que eu fiz quando tinha 18 anos, chamem. Aliás, gostaria que todo mundo visse o filme, é muito bom”, completou.

“Amor Estranho Amor” será exibido na madrugada da próxima 6ª feira (12.fev.2021), à 00h30, em uma mostra do Canal Brasil em homenagem ao diretor Walter Hugo Khouri.

O elenco conta ainda com atores brasileiros conhecidos como Tarcísio Meira, Vera Fischer e Mauro Mendonça.

Janaína Paschoal critica

A advogada e deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou neste domingo (7.fev.2021), por meio do Twitter, a exibição do filme. Segundo ela, apesar de Xuxa ter desistido de barrar a circulação da produção audiovisual, o filme exibe uma cena de sexo da personagem com um menino de 12 anos e a reprodução descumpre artigo do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

“Muito embora, hoje, o menino do filme já esteja adulto, é preciso lembrar que o ECA, em seu artigo 241, veda a exibição de material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes, sendo certo que até mesmo simular é proibido! A imagem do vulnerável precisa ser preservada”, disse.

“Impedir a veiculação desse filme não tem nada a ver com os direitos de Xuxa, nem com censura, tem a ver com o cumprimento do ECA! Ou alguém pensa que só meninas merecem ser protegidas? Meninos também têm direito à proteção! Muito triste!”, completou.

PODER 360
Foto: Divulgação

Carnaval cancelado

Carnaval tem folga suspensa em 20 Estados; leia a lista completa

Vários Estados e municípios cancelaram a folga nos dias de Carnaval em 2021. A medida tenta evitar aglomerações, festas e viagens, comuns nesta época do ano, e diminuir a transmissão da covid-19. As festas e desfiles carnavalescos de 2021 já vinham sendo cancelados desde 2020.

São 20 os Estados que terão expediente normal nas repartições públicas, conforme levantamento do Poder360. Nesses locais, haverá aula nas escolas que já retomaram as atividades depois da parada na pandemia.

Os tribunais de justiça estaduais podem determinar regras próprias. Pelo menos 5 no país terão expediente nos dias de Carnaval.

O governo federal resolveu manter o ponto facultativo. Os quase 600 mil servidores de órgãos e entidades da administração federal, autarquias e fundações do Executivo ficarão em casa na 2ª (15.fev) e 3ª feira (16.fev) e na 4ª feira (17.fev), até as 14h. A exceção fica com os serviços públicos essenciais, que continuam funcionando.

Legislativo e Judiciário federais têm independência para decidir sobre o assunto, e seguiram a mesma linha. Dispensarão servidores nos dias de Carnaval, com diferenças só na volta ao trabalho na 4ª feira.

O Carnaval não é um feriado nacional. Os governos precisam decretar ponto facultativo para não haver expediente no setor público. No Brasil, existem 9 feriados nacionais, segundo portaria do Ministério da Economia.

Já o setor privado pode operar sem restrições no ponto facultativo. No Brasil, tradicionalmente os empregadores liberam seus funcionários na 3ª feira, dia em que o funcionamento do comércio fica mais restrito nas cidades.

Neste ano será diferente. Depois de meses com faturamento oscilante devido à pandemia, federações de comércio vêm recomendando o funcionamento das empresas no Carnaval.

A B3, bolsa de valores brasileira, decidiu que não haverá pregão na Bolsa na 2ª (15.fev) e 3ª (16.fev) . Na 4ª (17.fev), começa depois das 13h.

PODER 360
Foto: Hudson Pontes/Prefeitura do Rio

Distanciamento social

Distanciamento social é defendido por 71% da população

Pesquisa PoderData mostra que 71% da população brasileira é a favor da adoção de medidas de distanciamento social para conter a propagação do novo coronavírus. Os que são contra são 24%. Outros 6% não souberam ou não responderam.

Os percentuais tiveram variação dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais em relação ao último levantamento, realizado de 7 a 9 de dezembro.

De acordo com o Ministério da Saúde, até sábado (6.fev.2021), há 9.497.795 casos confirmados de covid-19 e 231.012 mortes registradas por causa da doença. A média móvel de novas vítimas é de 1.010 por dia.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 1ª a 3 de fevereiro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 519 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Especialistas afirmam que o distanciamento social é uma das melhores formas para conter a propagação do coronavírus, além de medidas de cuidados pessoais e o uso de máscara de proteção facial. A imposição de restrições sociais, no entanto, como a suspensão de aulas e fechamento de comércios, causam são criticadas por determinados grupos da sociedade.

Quem mais é a favor de novas medidas de isolamento social:

  1. mulheres (75%);]
  2. pessoas de 25 a 44 anos (74%);
  3. moradores da região Norte (88%);
  4. os que têm só o ensino fundamental (73%);
  5. quem recebe mais de 10 salários mínimos (78%).


Quem mais se opõe a restrições sociais:

  1. homens (28%);
  2. jovens de 16 a 24 anos (33%);
  3. moradores da região Sul (36%);
  4. os que têm só ensino superior (28%);
  5. os que recebem de 5 a 10 salários mínimos (33%).

DISTANCIAMENTO SOCIAL X BOLSONARO

O presidente Jair Bolsonaro é contra qualquer imposição de medidas de distanciamento social. Durante a pandemia, o chefe do Executivo, que teve covid-19, promoveu aglomerações e em diversas ocasiões não fez o uso de máscara. Também fez duras ao governos estaduais, que iniciaram com medidas mais rígidas e foram decretando a flexibilização ao longo da pandemia. Com um novo pico de casos e mortes por covid-19, alguns Estados analisam a aplicação de novas medidas.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou em 29 de janeiro o fechamento de atividades econômicas aos finais de semana. Na última 4ª feira (3.fev), no entanto, voltou atrás da decisão. O tucano é um dos maiores adversários políticos de Bolsonaro. Ambos enfrentaram diversos embates em torno do debate sobre o combate à pandemia.

A pesquisa PoderData mostra que o posicionamento de Bolsonaro tem influência sobre seus apoiadores, que são os que se manifestam mais contra o distanciamento social.

Entre os que avaliam o trabalho do presidente como “ótimo” ou “bom”, 44% desaprovam as medidas. Outros 52% são a favor.

No grupo dos que acham Bolsonaro “ruim” ou “péssimo”, a taxa dos que apoiam o distanciamento é de 86%. Só 10% são contra.

PODER 360
Foto: Reprodução

Aulas presenciais

58% da população não querem retomada de aulas presenciais

Pesquisa PoderData indica que 58% dos brasileiros são contra a retomada das aulas presenciais nas escolas do país. Seguem suspensas na maioria dos Estados desde o início da pandemia. A medida foi adotada para evitar aglomerações que poderiam facilitar a disseminação da covid-19.

Outros 37% se dizem favoráveis ao retorno das aulas presenciais para crianças e adolescentes. Os 5% restantes não sabem ou não responderam.

Os números apontam que dobrou a quantidade de pessoas em prol da reabertura dos colégios em relação ao levantamento do PoderData realizado em agosto. À época, só 19% queriam que as aulas presenciais fossem retomadas. Mais de 2/3 dos entrevistados se posicionava contra (76%).

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 519 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Quanto à comparação das pesquisas de fevereiro e de agosto, a variação não foi exposta no gráfico pois houve mudança no enunciado. Pesquisas não podem ser comparadas quando o enunciado é diferente. Também faz diferença a posição das perguntas no questionário.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS

Homens são mais favoráveis à retomada das aulas em relação às mulheres. São 43% contra 32%, respectivamente. Por faixa etária, os idosos com 60 anos ou mais também querem a reabertura. Soma, 44%, enquanto os demais estão tecnicamente empatados de 34% a 38%.

Metade da população da região Centro-Oeste também se diz favorável à flexibilização das restrições de circulação. Goiás foi o único Estado do país que já retomou as atividades –mas em formato híbrido: quando parte da turma tem aula presencial, a outra segue virtual. No Distrito Federal, os colégio particulares adotaram o mesmo esquema.

Os mais pobres e os mais ricos concordam que ainda não é a hora certa para as aulas presenciais voltarem. Cerca de 2/3 da população das extremas classes sociais dizem que as classes não devem ser realizadas no ambiente escolar.

Apesar de o coronavírus ainda ser uma ameaça no país, com uma média acima de 1.050 mortes diárias, há quem argumente que a retomada do ensino tradicional é necessária para a qualidade da educação brasileira.

Estudo recente da FGV (Fundação Getúlio Vargas) mostra que a educação pode retroceder até 4 anos nos níveis de aprendizagem por causa da suspensão das aulas presenciais durante a pandemia, com o agravante da dificuldade no acesso ao ensino remoto. Este é o cenário mais pessimista.

BOLSONARISTAS MAIS INCLINADOS

Para 46% das pessoas que avaliam o trabalho do presidente da República, Jair Bolsonaro, como bom ou ótimo, a melhor solução é a retomada das aulas. A taxa cai 31% entre críticos do chefe do Executivo, que avaliam o governo como ruim ou péssimo.

Entre avaliações regulares, 37% apoiam o retorno das aulas presenciais.

PODER 360
Foto: Reprodução/Agência Brasil

Coronavac

RN recebe mais 46.800 doses da CoronaVac

O Rio Grande do Norte de recebeu 46.800 novas doses de vacina contra a covid-19 no início da tarde deste domingo (7). O novo lote de imunizantes da CoronaVac chegou de avião ao Aeroporto Internacional de Natal.

Com essas novas doses, o Estado totaliza 160.740 doses de vacinas recebidas para o plano de imunização contra acovid-19. Segundo o governo estadual, o foco será vacinar os idosos acamados e os idosos com mais de 90 anos, para avançar na vacinação dos idosos acima de 85 anos.

“Toda a logística já está pronta para fazer a distribuição aos municípios. Fazemos o apelo para que se tenha todo o cuidado no sentido de evitar aglomerações”, afirmou a governadora Fátima. “Os idosos acamados que começarão a ser vacinados agora serão atendidos em suas casas através das equipes de saúde dos municípios. Depois daremos início à vacinação dos idosos em geral a partir dos 90 anos, de forma decrescente, do mais idoso ao menos idoso”, completou a chefe do Executivo.

A escolha desses grupos prioritários para vacinação se deu conforme a disponibilidade das doses da vacina por parte do Ministério da Saúde. As doses que serão encaminhadas aos municípios seguem a divisão dos lotes anteriores, com base na estimativa populacional.

“O Ministério da Saúde sinalizou que a partir de agora estaremos recebendo as vacinas semanalmente. É importante que a população não fique ansiosa e não se dirija às unidades de saúde de forma desorganizada exatamente para que não cause aglomeração”, destacou a subsecretária de planejamento e gestão da Sesap, Lyane Ramalho.

A entrega das vacinas aos municípios seguirá os planos anteriores, com o transporte dos imunizantes até as Unidades Regionais de Saúde Pública, com o apoio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

Segunda dose

No início desta semana a Sesap vai distribuir o estoque para aplicação da segunda dose da CoronaVac para os potiguares atendidos com o primeiro lote de vacinas

A vacinação deste público deverá ocorrer em até duas etapas: de 10 a 17 de fevereiro e de 15 a 19 de fevereiro, devendo ser respeitado o intervalo de 21 a 28 dias de entre a primeira e a segunda dose.

TRIBUNA DO NORTE
Foto: Reprodução/Twitter

testes de covid

Pazuello quer doar testes de covid quase vencidos ao Haiti

Ministério da Saúde tenta doar parte dos cerca de 5 milhões de testes de covid encalhados em um armazém federal e que vencem a partir de abril. Num esforço de reduzir o estoque e evitar mais desgaste à imagem do general Eduardo Pazuello, chefe da pasta, o governo pretende entregar ao Haiti um 1 milhão desses exames. Outro lote foi oferecido a hospitais filantrópicos e Santas Casas, que devem recusar.

Como o Estadão revelou em novembro, o ministério guardava 7,1 milhões de exames do tipo RT-PCR, o mais indicado para diagnóstico da doença, e a maior parte (96%) teria de ir ao lixo entre dezembro e janeiro. O produto ganhou mais 4 meses de validade e 2,1 milhões de exames foram entregues até agora, mas a gestão de Pazuello continua com dificuldade para consumir o estoque.

O processo de detecção da doença exige também a disponibilidade de cotonetes swab, tubos coletores, reagentes de extração do RNA e outros insumos que nem sequer o Brasil conseguiu comprar em grande escala. Uma equipe de Pazuello está em Porto Príncipe para negociar a entrega e avaliar se o país tem condições de receber o material.

A negociação para a entrega dos exames ocorre no momento em que Pazuello está sob pressão e tenta evitar novos fracassos de logística. O general é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta omissão na ajuda ao Amazonas e precisou depor à Polícia Federal. Além disso, recebe críticas pela demora para comprar vacinas, pelo avanço da pandemia no País e por causa da aposta em medicamentos sem eficácia, como a cloroquina.

O Itamaraty e o Ministério da Saúde afirmam que o governo haitiano pediu a doação dos testes de covid. Não está claro se a quantidade ofertada foi proposta pelo Brasil ou pelo país caribenho. “A área da saúde, por estar entre os temas prioritários para a reconstrução e a estabilização do Haiti, constitui um dos principais eixos da cooperação com o país, bem como é objeto de diálogo constante entre os dois países. O governo do Haiti solicitou ao Brasil doação de testes de covid e está finalizando os trâmites administrativos correspondentes”, afirma o Itamaraty, em nota.

Com população cerca de 19 vezes maior que a do Haiti, o Brasil patina para realizar testes no Sistema Único de Saúde (SUS). A meta do governo era fechar 2020 com mais de 24 milhões de amostras analisadas, mas cerca de 10,2 milhões de exames RT-PCR foram feitos na rede pública até agora. Mesmo os exames entregues aos Estados e municípios não foram totalmente consumidos, entre outras razões pela falta de todos os insumos de análise.

Além disso, o produto hoje encalhado não é compatível com toda a rede de laboratórios do SUS. Esse exame é da marca coreana Seegene e foi comprado por meio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), por R$ 42 a unidade. A validade original era de 8 meses, mas foi estendida por mais 4 meses pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com base em estudos da fabricante.

O Brasil tem fortes laços com o Haiti e chefiou uma missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no país caribenho, entre 2004 e 2017. Nesse período, generais que apoiam e têm cargos no governo Bolsonaro comandaram as tropas internacionais, como os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e o comandante do Exército, Edson Pujol. A Saúde também participou de ações para reconstruir o sistema de vigilância sanitária, destruído pelo terremoto de 2010.

A Embaixada do Haiti no Brasil afirma que não “está a par” das conversas. O Estadão apurou que o diálogo está sendo feito entre o governo brasileiro e o Ministério da Saúde do Haiti. Depois de duas semanas sendo questionado sobre o tema, a pasta de Pazuello respondeu que o pedido de doação foi apresentado pelo governo caribenho. Disse ainda que pediu ao país para confirmar se tem estrutura.

O governo brasileiro não doará reagentes de extração e outros insumos usados durante as análises das amostras. “Se os haitianos não tiverem como fazer essas análises ou como realizar coletas, não será possível ao Brasil dar início a alguma eventual doação”, afirma nota do ministério. Auxiliares de Pazuello, reservadamente, negam que a ideia é empurrar ao país os exames que estão prestes a vencer.

Na nota, a pasta afirma ainda que avaliará a quantidade que pode ser doada – a reportagem apurou que se fala, hoje, em 1 milhão de exames. “É necessário recordar que, desde o terremoto o Brasil intensificou a cooperação humanitária em diversas frentes e três hospitais em território haitiano são mantidos com auxílio brasileiro”, afirma o ministério, que observa ainda que enviou 100 ventiladores pulmonares durante a pandemia ao Haiti.

ESTADÃO
Foto: Gilson Abreu/ANp

Marinha leva para Manaus tanque com 90.000 metros cúbicos de oxigênio pelos rios da Amazônia

Uma balsa com um tanque de 90 mil metros cúbicos de oxigênio líquido, abastecido pela empresa White Martins, atracou neste sábado (6) no porto Encontro das Águas, em Manaus (AM), acompanhada pelo navio-patrulha Fluvial Roraima, do Comando da Flotilha do Amazonas.

O tanque, com o equivalente a 9 mil cilindros de oxigênio, foi abastecido pela empresa em Belém (PA). O navio-patrulha iniciou o acompanhamento da balsa, que foi contratada pela indústria de gás, a partir da cidade de Santarém (PA) até Manaus (AM).

De acordo com a White Martins, essa foi a maior carga de oxigênio líquido já transportada por vias fluviais no país. Durante a ação, o principal propósito do Navio da Marinha foi evitar interferências de outras embarcações durante a navegação da balsa, no Rio Amazonas.

Ao todo, o navio percorreu 400 milhas náuticas a partir de Santarém garantindo a segurança da embarcação. “Por se tratar de um cilindro de peso muito elevado, a todo instante buscou-se evitar que a balsa fizesse guinadas bruscas, permitindo o mínimo de deslocamento do cilindro”, explicou o comandante do navio-patrulha, capitão de corveta Gabriel Moraes.

A ação da Marinha faz parte da Operação “Covid-19”, conduzida pelas Forças Armadas sob coordenação do Ministério da Defesa.

Do Diário do Poder
Foto: Ministério da Defesa

Butantan começa a produzir 8,6 milhões de novas doses da Coronavac

O Instituto Butantan começou a produzir 8,6 milhões de novas doses da vacina Coronavac neste sábado, 6. Os imunizantes estão sendo fabricados a partir dos insumos que chegaram da China na noite de quarta-feira, 3. O órgão de pesquisa desenvolve a vacina contra o novo em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Os 5.400 litros de matéria-prima passarão por envase, rotulagem, embalagem e processo de inspeção para controle da qualidade das ampolas. A previsão é de que as novas doses comecem a ser liberadas para imunização dos brasileiros a partir de 23 de fevereiro.

A chegada da matéria-prima, na quarta-feira, encerra, por enquanto, os problemas enfrentados para a importação do material. A carga atrasou e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) chegou a pedir atuação do governo federal, por meio do Ministério das Relações Exteriores, para ver a importação ser bem sucedida.

A vacina vem sendo envasada após o recebimento do insumo farmacêutico ativo (IFA), importado da China. Na próxima quarta-feira, 10, o instituto deverá receber mais 5.600 litros da matéria-prima. Eles correspondem a mais 8,7 milhões de doses. A liberação de outros 8 mil litros está em negociação com a farmacêutica chinesa. Uma nova fábrica está sendo construída para a produção completa da vacina pelo Butantan, que deve iniciar a fabricação em escala a partir de janeiro.

A Coronavac é hoje a mais amplamente disponível no País. A produção da vacina foi comprada pelo Ministério da Saúde e está sendo distribuída aos Estados. Até o dia 31 de janeiro já haviam sido entregues 8,7 milhões de vacinas. O contrato com o governo federal prevê a entrega de 46 milhões de doses, além da promessa de aquisição de mais 54 milhões.

Da Revista Exame
Foto: Amanda Perobelli/Reuters

STF decide que Bolsonaro não precisa indicar nome mais votado de lista tríplice de reitores

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta sexta-feira (5) fixar o entendimento de que o presidente Jair Bolsonaro deve seguir a lista tríplice das universidades federais, mas não é obrigado a indicar para reitor o nome mais votado pelos colegiados das instituições. O julgamento foi realizado no plenário virtual a partir de uma ação movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que questiona diversas nomeações feitas pelo Planalto que ignoraram o primeiro colocado das listas das instituições, inclusive na Universidade Federal do RS (UFRGS) e na Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

No ano passado, o ministro Edson Fachin proferiu liminar atendendo parcialmente a OAB. Fachin determinou que o governo deveria seguir dois requisitos: respeitar os procedimentos de escolha e composição das listas tríplices elaboradas pelas universidades e se ater aos nomes indicados que “necessariamente receberam votos dos respectivos colegiados máximos” das instituições. O ministro, porém, rejeitou o pedido da OAB para obrigar Bolsonaro a escolher o nome mais votado da lista.

O ministro Alexandre de Moraes abriu divergência de Fachin em um ponto técnico. Segundo ele, a liminar proferida pelo ministro reproduzia requisitos que já são previstos pela Lei 9.192/1995. O texto define que o presidente da República deve escolher o reitor e o vice-reitor entre os nomes da lista tríplice elaborada pelo “respectivo colegiado máximo” da instituição. A lei não estabelece qual dos três nomes deve ser indicado.

Do Estadão
Foto: Marcos Corrêa/PR

Após explosão, casas desabam na Zona Leste de Natal; quatro pessoas morrem

Acidente no bairro de Mãe Luiza aconteceu na madrugada deste domingo (7). Samu Natal confirmou ainda o resgate de um casal de idosos, que foi encaminhado para o Hospital Walfredo Gurgel

Pelo menos quatro pessoas morreram após uma explosão que culminou com um desabamento de casas no bairro de Mãe Luiza, na Zona Leste de Natal, na madrugada deste domingo (7). A informação foi confirmada pela Polícia Militar e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O acidente aconteceu por volta das 3h da madrugada após uma explosão que fez desmoronar uma casa de dois andares e outras próximas na VI Travessa João XXIII. O corpo de Bombeiros também atua no local para o resgate das vítimas.

Até a atualização mais recente desta matéria, a Polícia Militar confirmou quatro mortes no acidente. Outras duas pessoas, um casal de idosos, foram encaminhadas para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal.

O Corpo de Bombeiros vai investigar o motivo da explosão que causou o desmoronamento. A suspeita inicial é de que tenha sido de um botijão de gás.

Além da PM, do Corpo de Bombeiros e do Samu, também trabalham na operação de resgate às vítimas equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), da Polícia Civil e da Cosern.

Fotos: Corpo de Bombeiros
Do G1 RN

Atacante uruguaio ex-Athletico-PR é achado morto em casa

Na manhã deste sábado, 06, o atacante uruguaio Santiago Damián García Correa, o Morro Garcia, de 30 anos, foi encontrado morto, em Mendoza, na Argentina. Segundo o jornal TyC Sports, já existe a confirmação de que foi um suicídio. Ele passava por tratamento psiquiátricos por um quadro de depressão, de acordo com as autoridades locais.

Como testou positivo para covid-19 no dia 22 de janeiro, estava isolado até dos familiares. Morro García era jogador do Godoy Cruz, da Argentina, desde 2016. No Campeonato Argentino, ele soma 51 gols em 119 partidas, que é a segunda melhor marca na história do time.

Morro García jogou no Nacional, do Uruguai, de 2008 até 2011. Em seguida, se juntou ao Athletico-PR e jogou em 2011 e em 2012 pelo clube paranaense. Em seguida, se transferiu se transferiu para Turquia, onde vestiu a camisa do Kasimpaşa de 2012 a 2013. O atacante chegou ao Godoy Cruz em 2016 e, com a rápida quantidade de gols marcados, conquistou os torcedores.

Do Portal Terra
Foto: Divulgação

Tigres matam cuidador, fogem de zoológico e causam medo em cidade da Indonésia

Um cuidador foi morto por dois tigres-de-sumatra que escaparam de um zoológico na ilha de Bornéu, na Indonésia.

As tigresas, ambas com cerca de 18 meses, escaparam do zoológico de Sinka depois que uma forte chuva causou um deslizamento de terra no local. O ambiente dos tigres foi danificado, possibilitando a fuga dos animais.

Neste sábado, um dos animais foi capturado após ser atingido por um dardo tranquilizante. Mas o outro tigre acabou sendo morto a tiros depois de “se comportar de forma agressiva”. Segundo autoridades locais, as tentativas de tranquilizá-lo falharam.

O tratador de 47 anos foi encontrado morto perto do recinto dos tigres depois que os animais escaparam na noite de sexta-feira. Ele tinha feridas de mordidas e arranhões no corpo, informou a agência de notícias AFP.

Vários animais, incluindo um avestruz e um macaco, foram encontrados mortos pelo zoológico.

A fuga desencadeou uma caça em grande escala na cidade de Singkawang, em West Kalimantan, uma província da Indonésia. Atrações turísticas da região foram obrigadas a fechar pela polícia e as pessoas foram orientadas a ficar em casa.

As autoridades esperavam resgatar os dois animais vivos, mas “foram forçadas” a atirar em um dos tigres.

Da BBC News
Foto: GETTY IMAGES

Desempregado que caminhava mais de 25 km para entregar currículos em Natal viraliza na internet e consegue entrevistas: ‘só quero um trabalho’

Longas caminhadas sem alimentação e com um único objetivo: encontrar um trabalho. Desempregado há 11 meses, seu Wladmir Rodrigues, de 57 anos, chegou a andar mais de 25 quilômetros a pé, em um único dia, entregando currículos em empresas de Natal e da região metropolitana. Na última quarta-feira (3), porém, a história dele ganhou a internet e gerou muitas mudanças. Ele agora tenta administrar mais de 200 entrevistas de emprego agendadas.

“Muitas pessoas estão oferecendo ajuda, mas o que eu só quero mesmo um trabalho”, disse o homem ao G1.
Tudo começou com uma postagem da psicóloga Ranaruza Costa nas redes sociais. Ela compartilhou a história do contato que teve com o Wladmir em uma passarela na BR-101, em Natal, além de uma foto do currículo dele. “Eu achava que só meus amigos iam compartilhar, mas ganhou uma repercussão muito grande”, disse.

Seu Wladimir passava ao lado de Ranaruza, quando ambos viram um jovem pedinte. O homem lamentou a situação do rapaz, mas disse que, embora não quisesse julgar, não entendia porque uma pessoa tão mais nova não saia para entregar currículos, como ele estava fazendo.

Ao contar para a psicóloga o quanto já havia caminhado naquele dia, ela se comoveu com a história. “Eu só tinha R$ 20 comigo e pensei que, assim como um amiga tinha acabado de me ajudar depositando um valor a mais na minha conta, eu tinha que ajudar. Ele já tinha caminhado mais de três horas. Ele chorou e disse que nunca tinha pedido dinheiro, mas eu disse para aceitar”, relatou.

Wladimir confirma que tentou recusar a ajuda, mas que Ranaruza insistiu e ele acabou aceitando. Com o valor, ele pôde voltar para casa. Natural do Rio de Janeiro, o homem disse que mora há 28 anos no Rio Grande do Norte. Em Natal, trabalhou 18 anos como maqueiro em um hospital que fechou em 2016. Ele diz que até hoje tenta receber os direitos trabalhistas.

“Fiquei trabalhando com bicos na construção civil, mas com a pandemia, ficou mais difícil. Passei 11 meses sem trabalhar e fui despejado da casa onde estava. Outra pessoa me ajudou alugando um a casa onde estou há poucos dias sem eu precisar depositar nenhum valor”, contou.

Diante da situação e sem dinheiro suficiente, o homem começou a fazer longas caminhadas, andando mais de 4 horas para entregar currículos em toda a cidade. “Ia sem alimentação mesmo”, contou. Somente na quarta-feira em que encontrou a Ranaruza, ele entregou mais de 40 currículos.

Ele saia de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana, mais ao norte da capital, atravessava a Natal e chegou a entregar currículos em Parnamirim, outra cidade da região metropolitana, mais ao sul da capital.

Oportunidades
As portas começaram a se abrir depois da postagem nas redes sociais. Além de quase 9 mil curtidas e mais de 500 comentários no perfil da psicóloga – até este sábado (6) – a imagem foi compartilhada por outras páginas da internet. Somente em uma delas, são mais de 94 mil curtidas.

“Já recebi ligações de desembargadores de justiça e até de famosos, como o Gusttavo Lima. Muitas pessoas estão oferecendo ajuda, perguntando do que eu preciso, mas o que eu quero mesmo é um trabalho”, afirmou o homem.

De acordo com Wladmir, ele já tem mais de 200 entrevistas de emprego agendadas para os próximos dias. “Alguns me disseram que teriam vagas em 15 dias, mas a fome e o aluguel não esperam”, declarou ao G1, entre uma entrevista e outra, neste sábado (6).

A situação gerou uma amizade entre Wladmir e Ranaruza, que vêm conversando todos os dias, desde a quarta-feira (3). Tocada pela repercussão, a psicóloga disse que espera que as oportunidades também se revertam para outras pessoas desempregadas.

“Só fiz o que acho que qualquer pessoa faria e, por isso, não esperava tanta repercussão. Se agora ele está com tantas oportunidades, espero que quando ele tiver em um emprego essas outras vagas que surgiram também fiquem abertas para tantas pessoas que estão desempregadas”, disse.

Do G1 RN
Foto: Cedida

Estados rejeitam mudança no ICMS e responsabilizam a Petrobras

Os secretários estaduais de Fazenda rejeitaram mudanças na forma de cobrança do ICMS sobre combustíveis, como pretende o governo federal, e culparam a Petrobras pela escalada na alta do preço do diesel. O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz) manifestou-se nesta sexta-feira (5), por meio de nota, para dizer que o aumento dos preços dos combustíveis não tem qualquer relação com a política tributária dos Estados, mas “são fruto da alteração da política de gerência de preços por parte da Petrobras, que prevê reajustes baseados na paridade do mercado internacional, repassando ao preço dos combustíveis toda a instabilidade do cenário externo do setor e dos mercados financeiros internacionais”.

Com a pressão recaindo agora sobre os governos estaduais, os secretários de Fazenda afirmam que “não houve ou há alteração, por parte dos Estados, na incidência dos seus impostos ou na política e administração tributária dos combustíveis”. Segundo o Comsefaz, com a abertura do mercado de distribuição de combustíveis, os preços passaram a ser definidos pelos agentes econômicos envolvidos. “Assim, cada distribuidora possui autonomia para fixar seu valor de venda, retirando do Estado o poder de regular o mercado de venda dos combustíveis. Os combustíveis derivados de petróleo são insumos essenciais para nossa economia e a excessiva flutuação de seus preços compromete a atividade produtiva”, diz a nota.

Para os secretários de Fazenda, a política de preços dos combustíveis deve ser discutida no âmbito de uma Reforma Tributária ampla, incluindo todos os impostos sobre consumo. A nota, assinada pelo presidente do Comsefaz, Rafael Fonteles, e por todos os demais secretários estaduais de Fazenda, entre eles, o secretário estadual de Tributação do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo Xavier, diz que a Reforma Tributária Ampla, que já vem sendo apreciada no Congresso Nacional, é o instrumento mais eficaz para discutir as alterações no sistema tributário nacional.

Os secretários concluem dizendo que as Fazendas dos Estados “se colocam à disposição para dialogar sobre este tema, respeitando-se as premissas postas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que prevê que, para toda renúncia de receita, deve haver respectiva e proporcional compensação”.

A TRIBUNA DO NORTE ouviu o secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire, que se posicionou sobre o projeto para estabelecer um valor fixo de ICMS sobre combustíveis ou a incidência do imposto estadual no preço dos combustíveis vendidos nas refinarias.

“Minha posição é que o preço do combustível deixe de seguir a cotação internacional do petróleo, uma vez que o Brasil é autosuficiente e não há nenhuma necessidade de ancorar seus custos no mercado internacional e no dólar. A política de preço dos combustíveis governo federal está equivocada e ele precisa corrigir. O único culpado por essa explosão do preço dos combustíveis é essa política equivocada e apenas através da correção da mesma é que o problema será resolvido. Não adianta o Governo Federal querer arrastar Estados e municípios para pagar a conta dos erros dele”, afirmou o secretário.

Dória

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou a intenção do governo federal de intervir no ICMS – de responsabilidade dos Estados – que incide sobre os combustíveis como forma de atender as reivindicações feitas pelos caminhoneiros. Segundo Doria, “não é cabível que o presidente da República queira vulnerabilizar o equilíbrio fiscal dos Estados brasileiros, transferindo, sob qualquer aspecto, a responsabilidade pela eliminação ou redução do ICMS do combustível para os Estados”.

O governador disse ainda que o presidente Jair Bolsonaro tem mecanismos tanto em âmbito federal como da estatal Petrobras para estabelecer “o entendimento que julgar conveniente” para reduzir o preço dos combustíveis, sem que haja pena para as unidades federativas.

Segundo o governador, “a maior parte do preço do diesel, 47%, é determinado pela Petrobras. O ICMS é responsável por uma pequena fatia do preço final do produto, no caso de São Paulo, 13,3%”.

“Em 2020, a Petrobras promoveu 32 reajustes de diesel. A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) revelou que o preço médio do diesel subiu sete semanas consecutivas nos postos de combustível do Brasil”, afirmou Doria, durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

De acordo com o governador, caso o governo federal decida levar adiante esta medida, “os governadores agirão e uma parcela considerável agirá conjuntamente para evitar este dano aos Estados, que estão suportando parcela considerável de todo o programa de saúde pública diante da pandemia, além do atendimento à segurança pública, educação, proteção social e atendimento aos mais vulneráveis”.

Da Tribuna do Norte
Foto: Divulgação

Equipe econômica prepara ‘cláusula de calamidade’ para voltar a pagar auxílio emergencial

A cláusula citada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na noite desta quinta-feira (4) como necessária para recriar o auxílio emergencial deve ser incluída na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, informou nesta sexta (5) o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal.

A PEC do Pacto Federativo está parada no Senado desde 2019 e propõe a descentralização, a desindexação e a desvinculação de gastos, com o objetivo de abrir espaço no Orçamento e dar maior autonomia para estados e municípios.

Nesta quinta-feira (4), após receber a visita do novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), Guedes afirmou que o auxílio emergencial poderá ser recriado para pelo menos metade dos beneficiários que receberam o pagamento em 2020.

Do G1
Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

‘Meu nome está colocado’, diz Haddad sobre eleições de 2022

Segundo colocado das eleições presidenciais de 2018, o ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação Fernando Haddad (PT) admitiu nesta sexta-feira (5), em entrevista à CNN, que pode concorrer novamente ao Palácio do Planalto em 2022.

“Meu nome está colocado, evidentemente está colocado”, disse Haddad, entrevistado pelas âncoras da CNN Daniela Lima e Gloria Vanique.

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo desta sexta revelou que o ex-ministro foi escolhido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para ser o candidato do partido no pleito de outubro do ano que vem — isto se o próprio Lula não conseguir autorização da Justiça para concorrer.

À CNN, Haddad afirmou que o partido segue focado na defesa de uma ação apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) que acusa Sergio Moro, ex-juiz e ex-ministro da Justiça, de não ser sido um magistrado imparcial na condução da Operação Lava Jato e na condenação do petista.

Caso Moro seja considerado suspeito, Lula pode voltar a ser elegível. “O Lula recuperando os direitos políticos, evidentemente, a discussão é de outro nível, porque eu acredito que o Lula teria sido eleito, em 2018, se ele pudesse concorrer”, afirmou Fernando Haddad.

‘Projeto de país’

Enquanto aguarda uma definição da Justiça sobre o caso de Lula, Haddad disse ter sido incumbido pelo ex-presidente a trabalhar na construção de “um projeto de país” que o PT possa defender nas urnas em 2022.

Segundo o ex-ministro, o partido pretende iniciar as discussões já em 2021, focado na defesa da retomada do auxílio emergencial, em incentivos à vacinação e com prioridade para uma política de relações exteriores.

“Se nós não começarmos agora a discutir com o país, 2021, combater a fome, o desemprego e a questão sanitária, nós não vamos ter 2022”, afirmou Fernando Haddad.

Da CNN
Foto: Ricardo Stuckert

Em entrevista ao O Globo, Zélia Duncan afirma: ‘As meninas de hoje me devolveram o orgulho de ser sapatão’

Zélia Duncan trocou o Rio por São Paulo por amor. Moradora da Urca, na Zona Sul carioca, há 20 anos, ela agora divide uma casa no bairro do Sumaré com a companheira, a designer e artista plástica Flávia Soares, e quatro cachorros. As duas estão prestes a se casar. Já preparam documentos para a união estável. Aos 56 anos, Zélia “está mais assumida do que nunca”. O mergulho na conscientização política e nas lutas identitárias, além do contato com jovens meninas gays empoderadas (como a atriz Bruna Linzmeyer, com quem Zélia rodou o curta sobre visibilidade lésbica “Uma paciência selvagem me trouxe aqui”, dirigido por Érica Sarmet) fizeram com que ela confrontasse antigos demônios e curasse neuras que carregava desde quando se descobriu gay, aos 16 anos (“achava que estava doente, tinha vergonha por ser gay, demorei a me sentir digna de estar com todo mundo”, conta).

À alegria de estar bem resolvida se contrapõe à tristeza pela morte do pai por parada cardiorrespiratória, há dois meses. É equilibrando essa dubiedade de sentimentos que a cantora chega aos 40 anos de carreira. E leva as marcas de sua existência para a música que faz. A paixão, ela transformou na canção “Coisinhas”, dedicada à namorada. Diz assim: “Tudo que eu faço/ E acho que talvez seja bonito/ É só pra você, é só pra isso/ Pra hoje, pra agora/ Enquanto posso/ Ouvir sua risada sonora”. A canção estará num disco autoral, que sai em junho. Antes dele, nesta sexta-feira (5), ela lança “Minha voz fica”, álbum com canções da compositora sul-mato-grossense radicada em São Paulo Alzira E.

Nesta entrevista, a artista conta que tem aprendido com a nova geração de lésbicas empoderadas (“As meninas de hoje me devolveram o orgulho de ser sapatão”) e fala sobre a relação com Flávia Soares (“Estou apaixonada”).

Leia a entrevista completa aqui.

Do O Globo
Foto: arquivo pessoal

Sindicato aponta “catástrofe” financeira sem feriado de carnaval no Rio Grande do Norte

A suspensão do feriado de Carnaval no Rio Grande do Norte, determinada pela governadora Fátima Bezerra a partir do Decreto Nº 30.369/2021 é alvo de questionamento por parte do setor empresarial potiguar. De acordo com o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN), Habib Chalita, caso o decreto estadual em referência, que determinou a suspensão das festividades do período carnavalesco, além do cancelamento dos pontos facultativos compreendidos entre os dias 15 e 17 de fevereiro próximo, o setor de alimentos e bebidas, além do turismo, sofrerá uma “catástrofe” financeira.

Habib Chalita acredita em um prejuízo significativo para diversos setores. “Com esse decreto, já temos números suficientes para dizer que vai ser uma catástrofe com relação às hospedagens. Se estávamos tentando incentivar o turismo interno, que movimentasse… Não vamos atingir a ocupação do ano anterior, mas precisamos fazer com que as empresas sobrevivam. Chegamos a ter no ano passado um Carnaval com nível nacional, ocupação de 85%, mas esse ano, com milagre, queremos que chegue pelo menos a 40%”.

Os empresários dos setores representados pela Federação do Comércio do Rio Grande do Norte (Fecomércio) encaminharam nesta sexta-feira (5) uma carta conjunta ao Poder Público justificando a necessidade de manutenção do feriado no período de Carnaval e enumerando os possíveis prejuízos a dezenas de segmentos empresariais. No documento, os empresários pedem a revogação do Artigo 2º, que discorre sobre a suspensão dos pontos facultativos entre os dias 15 e 17 deste mês. Eles não pedem a realização de festas públicas ou privadas no período, apenas o retorno dos pontos facultativos.

Na semana passada, a Prefeitura do Natal e o Governo do Estado informaram que suspenderiam o ponto facultativo no Poder Público durante o Carnaval, além de determinarem a proibição de festas públicas e privadas durante o período. A medida, no entanto, não foi seguida por diversos setores, que mantiveram a suspensão do trabalho para dias do Carnaval, como comércio, supermercados, bancos e outros órgãos públicos, como Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa, por exemplo.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal nesta sexta-feira (5), Habib Chalita explicou que a suspensão do feriado pode prejudicar diretamente a recuperação do setor de hotéis, bares e restaurantes, já que a aposta para esse ano era que o turismo regional, com os próprios potiguares e turistas de Estados vizinhos circulando pelo Rio Grande do Norte, amenizasse os prejuízos acumulados no setor durante a pandemia da Covid-19. Para Chalita, era necessária uma discussão junto ao setor antes de uma decisão como essa.

“É necessário que o setor também seja consultado com relação a esses últimos decretos, sobre o ponto facultativo. Eu me pergunto: será que as pessoas que promovem o turismo interno terão a liberdade de viajar? O turismo interno é prejudicado diretamente por esse decreto. O Rio Grande do Norte passa por uma situação difícil economicamente, agora é que os números estão aparecendo após um ano de desastre na saúde e na economia. O Carnaval, que é um momento de ocupação, onde o litoral se vê em receita e cadeia produtiva lucra, foi cortado em virtude do cancelamento do feriado. Isso vem prejudicar gravemente a cadeia”, explicou Habib Chalita.

No entendimento do empresário, quando “a força econômica”, que é a população, não está sendo liberada das atividades no feriado, a economia do Estado é atingida. “Quem é que não vai para a praia? Essa faixa do turismo interno está proibida porque é a faixa que o ponto cancelou e serve somente para alguns, e não para todos. Isso atinge a cadeia do Turismo que são 45 setores do RN”, lamentou.

Para tentar retomar os feriados, os empresários tiveram uma reunião na quinta-feira (4), onde levantaram as alternativas e apresentaram os dados encaminhados ao Governo do Estado e Prefeitura do Natal. Segundo Habib Chalita, o documento visa “explicar que foi uma medida equivocada”, justificando com números.

“Sobrevivemos do turismo regional e interno e essa é uma medida que vem a prejudicar a cadeia econômica, não somente as hospedagens, mas também o setor de alimentação saem perdendo com um decreto desse. Imagine o quanto deixa de se arrecadar”, disse Chalita.

O que diz o decreto

Suspende a realização de festas ou eventos comemorativos de pré-carnaval e carnaval no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte, revoga os incisos III, IV e V do Decreto Estadual n° 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que estabelecem os pontos facultativos na Administração Pública Direta e Indireta nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro de 2021 e dá outras providências.

A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 64, V e VII, da Constituição Estadual,

Considerando o disposto no Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que divulga os dias de feriados nacional e estadual e decreta os dias de ponto facultativo no ano de 2021 para os órgãos e entidades da Administração Pública estadual e dá outras providências;

Considerando o previsto nos incisos III, IV e V, do Art. 1°, do Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que estabelece ponto facultativo para os dias 15, 16 e 17 de fevereiro;

Considerando o aumento nos números dos casos de infecção e reinfecção pela COVID-19 no Brasil e no Estado do Rio Grande do Norte;

Considerando as informações divulgadas por meio do indicador composto para monitoramento da pandemia pela COVID-19 no Estado do Rio Grande do Norte;

Considerando a necessidade de manutenção e estabilização dos dados epidemiológico no Estado;

Considerando a Recomendação n° 23/2020, de 29 de janeiro de 2021, emitida pelo Comitê de Especialistas da Secretária de Estado da Saúde Pública para o Enfrentamento da Pandemia pela COVID-19, a qual orienta a suspensão imediata de todas as atividades relacionadas ao Carnaval, seja em ambientes fechados ou abertos, incluindo carnaval de rua, clubes, shoppings e afins, no Rio Grande do Norte, bem como a suspensão do ponto facultativo do período no Estado;

Considerando que o cenário demanda a conjugação de esforços do Poder Público e dos particulares para o emprego de medidas de prevenção, controle e contenção da propagação da COVID-19;

Art. 1º Ficam suspensas, em todo o Estado do Rio Grande do Norte, quaisquer festas ou eventos comemorativos de carnaval, incluindo prévias carnavalescas e similares, promovidos por entes públicos ou iniciativa privada.

Parágrafo único. Sem prejuízo do disposto no caput deste artigo, adotar-se-ão as seguintes medidas:

I – vedação ao financiamento ou apoio de eventos comemorativos de carnaval, incluindo prévias carnavalescas e similares durante o período em que vigorar as restrições impostas por este Decreto à Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo Estadual;

II – reforço da fiscalização estadual aos municípios quanto à proibição da realização de festas e eventos, coibindo aglomerações, bem como quanto à obrigatoriedade do uso de máscara;

Art. 2º Ficam revogados os incisos III, IV, V do Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020 que estabelecem os pontos facultativos nos órgãos e entidades da Administração Pública direta ou indireta estadual nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro de 2021.

Palácio de Despachos de Lagoa Nova, em Natal/RN, 1º de fevereiro de 2021, 200º da Independência e 133º da República.

Da Tribuna do Norte
Foto: João Maria Alves/arquivo tn

Contaminados graves retardam ida ao hospital com medo da intubação

Doentes de Covid-19 têm postergado a ida ao hospital com medo da intubação, agravando o estado clínico. Muitos estão usando oxigênio em casa, prática arriscada porque a doença pode apresentar piora repentina.

O alerta é da Amib (Associação de Medicina Intensiva Brasileira), que divulgou nesta quinta (4) uma nota em que diz ser alarmante o número crescente de pacientes chegando aos hospitais com quadros avançados de insuficiência respiratória.

Embora ainda não haja informações consolidadas sobre essa alta, a associação afirma que tem observado casos de pacientes com Covid-19 tratados em casa com estratégias apropriadas somente no ambiente hospitalar, como o uso de concentradores de oxigênio.

Segundo a Amib, a única forma segura e eficiente de conduzir pacientes com sinais de insuficiência respiratória é por meio da internação hospitalar e técnicas de suportes respiratórias invasivas (intubação) ou não invasivas (máscaras de oxigênio).

É o caso da aposentada Maria (nome fictício), 63, de Barretos. Após apresentar sintomas de Covid, se consultou com um pneumologista particular e recebeu indicação de internação. Mas, como medo de ser intubada, ela se recusou a ir para o hospital.

Como opção, o médico prescreveu o uso de oxigênio em casa, com monitoramento por meio do oxímetro (aparelho que mede a saturação de oxigênio do sangue), além de anticoagulante e antibiótico.

No sábado (30), a falta de ar aumentou muito, a saturação de oxigênio chegou a 75% e ela foi convencida pelo filho a ir para o hospital. Chegou em estado grave, foi imediatamente intubada e segue internada na UTI.

O caso de Maria também ilustra uma outra mudança nessa segunda onda da pandemia em relação à procedência do paciente com necessidade de intubação. Antes, a maioria já estava internada quando ocorria uma piora do estado clínico, a ida para a UTI e a indicação de ventilação mecânica invasiva.

Agora, há muitos relatos de pacientes indo direto do pronto-socorro para a UTI e sendo intubados, segundo o médico intensivista Ederlon Rezende, do conselho consultivo da Amib.

No Hospital do Servidor Estadual (SP), por exemplo, 70% dos pacientes com indicação de intubação já vêm direto do PS. “É um forte indicativo de que os pacientes estão chegando mais graves”, diz Rezende.

Outras instituições pelo país registram situações parecidas.

No Hospital do Amor Nossa Senhora, em Barretos (SP), a gravidade com que os pacientes têm chegado nos últimos dias preocupou a equipe médica, diz Cristina Prata Amendola, diretora médica do hospital.

Em comum, muitos desses pacientes tentavam se tratar em casa. “Tanto com o kit Covid quanto com anticoagulantes. Tivemos uns cinco ou seis casos de pacientes que também estavam usando aqueles torpedinhos de oxigênio em casa”, afirma ela.

No Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém (PA), a percepção dos intensivistas é a mesma dos colegas de SP.

“As pessoas estão confundindo as coisas. Como o cara mais grave é intubado, elas acham que não tem que intubar porque senão o cara vai morrer. Aí fica aquele pânico”, conta Antonio Carlos Alves da Silva, coordenador da UTI do hospital.

Silva também observa a chegada crescente de pacientes mais graves, agora cada vez mais jovens, entre 20 e 40 anos, o que não era observado na primeira onda da Covid.

O médico diz que, além do aluguel de cilindros de oxigênio, há pacientes questionando se podem comprar ventiladores mecânicos não invasivos para deixar em casa por precaução.

A necessidade de oxigênio indica maior gravidade da doença, e isso é critério para internação, segundo Cristina Amendola. Pacientes mais graves de Covid-19 podem sofrer danos nos tecidos do pulmão, levando à insuficiência respiratória aguda. Se os pulmões não conseguem fornecer oxigênio para o corpo ou não eliminam o dióxido de carbono adequadamente, a intubação é a única terapia indicada.

“A gente tem visto com frequência essas situações. Pacientes protelando atendimento hospitalar por medo e quando chegam ao hospital estão com um estado clínico muito comprometido”, diz Felipe Bittencourt, médico intensivista do Hospital Guadalupe, em Belém (PA).

Segundo ele, a situação ocorre, inclusive, entre pacientes mais esclarecidos, com familiares da área da saúde e com acesso a médicos particulares. “Eles criam um suporte hospitalar dentro do domicílio, com medicações que a gente geralmente usa nos hospitais, como os anticoagulantes, e adquirem cilindros de oxigênio.”

Bittencourt fala com conhecimento de causa. A mulher, que também é médica, foi infectada no ano passado, chegou a apresentar saturação de 83% e resistiu em ser internada. “Fizemos tratamento em casa, com altas doses de corticoides, antibiótico e comprei um cilindro de oxigênio. Foi difícil, mas deu certo.”

No caso da região Norte, Bittencourt acredita que muito do comportamento também possa estar relacionado ao colapso da rede de saúde ocorrido no ano passado, que levou à falta de leitos de internação.

Segundo estudo publicado na revista científica The Lancet Respiratory Medicine, a alta mortalidade de pacientes internados com Covid-19 tem sido agravada pelas disparidades regionais de leitos e de recursos existentes no sistema de saúde.

Apesar de o Norte e o Nordeste terem populações mais jovens, os desfechos foram piores, com mais doentes necessitando de internação em UTI e ventilação invasiva. Entre os pacientes intubados com menos de 60 anos, a mortalidade foi de 77% no Nordeste em comparação com 55% no Sul.

Para a médica Cristina Amendola, embora a intubação esteja associada a uma maior taxa de mortalidade, as pessoas precisam entender que é a gravidade da doença —e não o procedimento em si— que vai causar mais mortes.

Segundo ela, muitos pacientes e familiares já chegam ao hospital com o discurso de que não querem a intubação. Só depois de muito diálogo e quando o paciente não aguenta mais a falta de ar é que ele acaba cedendo e concordando. “Eu não me lembro de ter vivido situação semelhante na UTI antes.”

Ao mesmo tempo, a médica lembra que quase 40% dos pacientes graves precisam fazer hemodiálise, também associada a uma maior mortalidade, porém, o procedimento não desperta o mesmo medo. “Ninguém nunca me falou que não queria fazer diálise.”

No caso de o paciente ou a família optar pela não-intubação, a equipe avalia critérios como a idade e as comorbidades, Se for uma pessoa muito idosa com doenças prévias, a equipe respeita a decisão e oferece cuidados paliativos.

Mas se o doente não se enquadra nesses critérios, a decisão de intubar pode acontecer mesmo à revelia da vontade do paciente porque é a sua única chance de sobrevivência.

“A gente dá um sedativo, ele relaxa e fazemos o procedimento. É muito ruim ter que ser assim, mas se a gente fala: ‘vou te intubar’, o cara entra em pânico, o que piora ainda mais a oxigenação”, diz o intensivista Antonio Silva, de Santarém.

Uma tentativa de lidar com essas questões éticas, tem sido mudar a forma de se comunicar. Em vez de usar a palavra intubação, a equipe explica ao paciente vai que sedá-lo para “repousar” o pulmão.

Dos 44 pacientes internados na UTI que Silva coordena, 37 estavam intubados na última terça (2). Nos boletins diários que ele passa aos familiares dos pacientes pelo telefone, a extubação é sempre a primeira pergunta: “Doutor, quando vai tirar o tubo?”

FOLHA DE SÃO PAULO
Foto: Folha de São Paulo

Pauta ambiental do Brasil freia avanço do país na OCDE

O comitê de política ambiental da OCDE cancelou a discussão sobre o upgrade do status do Brasil no órgão, que aconteceria na semana que vem. O Brasil, que atua como convidado no comitê, reivindica o status de participante, que abriria caminho para acelerar o processo de adesão aos instrumentos ambientais da instituição, parte obrigatória do processo de acessão ao órgão.

A entrada na OCDE, uma espécie de clube dos países ricos, é uma das maiores prioridades da política externa do governo Bolsonaro. Na visão do governo, seria uma maneira de aumentar a confiança no país e atrair mais investimentos.

Conforme mostra documento obtido pela Folha, o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, havia recomendado que, durante a reunião do dia 9 de fevereiro, os membros aprovassem o upgrade do Brasil e a aceleração da adesão aos instrumentos. Ele afirmava que o país cumpria os critérios para se tornar participante. “O Brasil tem demonstrado disposição para cooperar com o comitê e contribuiu para seu trabalho…compartilhando dados ambientais e melhores práticas”, diz o documento do secretariado.

No entanto, após todos os membros do Comitê receberem uma carta da ONG de direitos humanos Human Rights Watch com questionamentos sobre a política ambiental de Bolsonaro, o Brasil foi removido da agenda da reunião de 9 de fevereiro. Agora, o encontro discutirá apenas o pedido de upgrade da Bulgária, outro país que tenta entrar na OCDE.

“É extraordinário o secretário eliminar o tema da agenda dessa maneira, é um sinal claro de que as desastrosas políticas ambientais de Bolsonaro estão se tornando um obstáculo para a entrada do Brasil na OCDE”, diz Daniel Wilkinson, diretor da área de Meio Ambiente e Direitos Humanos da Human Rights Watch. “O Brasil estava claramente querendo usar esse comitê para fortalecer sua candidatura à OCDE, mas essa tentativa parece ter saído pela culatra.”

Procurado pela Folha, o Itamaraty enviou nota dizendo: “O Brasil segue aguardando uma posição dos membros do EPOC (sigla do comitê em inglês) em relação às referidas solicitações, que requerem exame amplo dos membros do Comitê em suas reuniões regulares.” O ministério afirmou também que “o governo brasileiro continua a participar ativamente, como convidado, das atividades do Comitê”, onde “tem contribuído para os debates e apresentado suas políticas na área.”

“O MRE entende que a participação plena no Comitê permitirá maior interação e troca de experiências acerca de questões e de políticas ambientais, contribuindo para o aprimoramento das ações brasileiras na matéria mediante diálogo com todos os membros da OCDE, com base em análises e evidências empíricas. O Itamaraty tem acompanhado o processo de adesão do Brasil a 37 instrumentos ambientais da Organização.”

A assessoria da OCDE foi procurada pela Folha por telefone e e-mail, disse que iria enviar um comentário, mas não enviou.

Na carta enviada aos membros do comitê da OCDE, a Human Rights Watch afirma que os “impactos das políticas desastrosas do presidente Jair Bolsonaro para a Amazônia” deveriam desqualificar o Brasil para um upgrade.

“Se os estados membro da OCDE elevarem o status do Brasil no comitê ambiental enquanto o governo Bolsonaro despreza os princípios do comitê de forma tão escancarada, isso irá minar a credibilidade do comprometimento do órgão com esses princípios”, diz a carta.

O Brasil já havia sido barrado antes. Ao longo de 2019, o Brasil solicitou a elevação de seu “status”, de convidado para participante no comitê e reiterou interesse em aderir a 37 instrumentos da área ambiental. Em reunião de 27 de setembro de 2019, em que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, apresentou as políticas de sua pasta, os membros do comitê não chegaram a um consenso sobre o upgrade e adiaram a decisão, na prática, negando.

Na reunião, realizada pouco depois da onda de incêndios na Amazônia que causou rusgas entre Bolsonaro e o presidente francês, Emmanuel Macron, alguns membros barraram o upgrade do Brasil por causa do aumento no desmatamento e “falta de monitoramento efetivo e de aplicação de penalidades por parte do governo”.

“Outros demonstraram preocupação com o comprometimento político do Brasil”, diz o documento obtido pela Folha.

Uma nova reunião foi marcada para abril de 2020, para que os membros pudessem avaliar os avanços do Brasil nos pontos problemáticos da agenda ambiental e reconsiderar o veto. No entanto, por causa da pandemia de Covid-19, essa reunião foi adiada para 9 de fevereiro de 2021. Agora, mais uma vez, os membros do comitê adiaram a avaliação, na prática, negando.

O governo Bolsonaro tem embarcado em uma ofensiva de relações públicas para corrigir o que considera uma visão distorcida no exterior sobre as políticas ambientais do país. O governo vem divulgando dados positivos em relação à Amazônia e fazendo campanhas de marketing no exterior.

“O fato de a OCDE nem sequer conseguir discutir a entrada do Brasil como participante do comitê ambiental é constrangedor; em vez de tentar embelezar (greenwash) seu histórico ambiental desastroso, o governo precisa começar a mostrar resultados reais na proteção das florestas e dos defensores do meio ambiente”, diz Maria Laura Canineu, diretora da Human Rights Watch no Brasil.

FOLHA DE SÃO PAULO
Foto: Mateus Bonomi/AGIF

Edital da Fiocruz prevê construção de centro de produção de vacinas

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) anunciou nesta 6ª feira (5.fev.2021), live realizada pelo YouTube, o edital de licitação para a construção do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde, que ficará em Santa Cruz, no Rio de Janeiro.

O complexo será o maior da América Latina, aumentando em 4 vezes a capacidade de produção da Fiocruz. Além disso, deve atrair mais de 5 mil empregos ainda na fase de construção.

O ministro da saúde, General Eduardo Pazuello, disse que a construção desse complexo é um marco para o SUS (Sistema Único de Saúde), e que será de suma importância para a independência na fabricação de imunizantes. “Esse complexo representa importante reforço para nosso Programa Nacional de Imunização, que pela relevância e grandeza do nosso país, também é o maior programa de imunizações do mundo”, afirmou.

Segundo Pazuello, com a fabricação do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) no Brasil, será possível produzir 100 milhões de doses de vacinas ainda neste semestre e mais 20 milhões de doses por mês no semestre seguinte.

O ministro também informou que a pasta está em negociação para adquirir doses com o laboratório indiano Bharat Biotech, responsável pela vacina Covaxin, e com o Instituto Gamaleya, que produz a Sputnik V.

PODER 360
Foto: Peter Ilicciev

Maioria acha injusto que clínicas privadas comprem vacinas: 60%

Pesquisa PoderData divulgada nesta 6ª feira (5.fev.2021) mostra que 6 a cada 10 brasileiros acha injusto que vacinas contra covid-19 possam ser ofertadas por clínicas privadas. Outros 33% afirmaram achar justo, enquanto 9% não responderam.

A pesquisa foi realizada nos dias 1 a 3 de fevereiro pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 519 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

VACINAÇÃO PRIVADA

A ABCVac (Associação Brasileira das Clínicas de Vacina) está em processo de aquisição de 5 milhões de doses da vacina indiana Covaxin para clínicas privadas brasileiras. Com uma flexibilização das normas da Anvisa para aprovação de imunizantes em fase emergencial no país, o acesso privado à vacina deve acontecer antecipadamente.

Um dos possíveis clientes é a Ajudergs (Associação dos Juízes Federais do Rio Grande do Sul), que manifestou interesse em comprar doses para os 185 magistrados associados, além de seus familiares. A entidade pretende custear a vacinação dos juízes. E cada família dos afiliados poderia ter até 8 pessoas vacinadas, e as duas doses sairiam por R$ 800 [por pessoa].

De acordo com o Ministério da Saúde, ao adquirir a vacina e iniciar a imunização, as clínicas particulares deverão seguir a ordem dos grupos prioritários, como consta no plano nacional de imunização.

DADOS DEMOGRÁFICOS

O levantamento também mostra recortes sobre a intenção de grandes compras por sexo, idade, região, escolaridade e renda.

Quem mais apoia:

os mais ricos (60%);
os que vivem na região Sul (50%);
os que estudaram até o ensino superior (47%);
os que têm de 45 a 59 anos (44%).

Quem mais rejeita:

os que têm de 16 a 24 anos (70%);
os que têm 60 anos ou mais (68%);
os moradores da região Sudeste (66%);
os homens (64%).

BOLSONARISTAS X VENDA DE VACINAS

A proporção de apoiadores do presidente que acha justo a venda de vacinas por clínicas é de 47%. Já no grupo da oposição, a proporção dos que apoiam o comércio de imunizantes é de 21%. Entre os opositores, 72% acham injusto que clínicas privadas ofereçam vacinas.

PODER 360
Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Locais impróprios para banho no RN

RN tem dois locais impróprios para banho

O Rio Grande do Norte tem dois locais impróprios para banho, de acordo com o Boletim da Balneabilidade das praias do Rio Grande do Norte Nº 05, emitido nesta sexta-feira (05): Lagoa de Pitangui, em Extremoz e a Foz do Rio Pirangi, em Nísia Floresta.

Durante todo o ano, o grupo é responsável por coletar amostras em 33 pontos na Grande Natal, distribuídos na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz. No período do verão, a análise é ampliada para as demais praias do litoral totalizando 51 pontos, compreendidos entre Baía Formosa até Tibau.

O documento, que pode ser lido aqui, classifica e informa aos banhistas quais as condições das praias monitoradas. A base dos dados analisa a quantidade de coliformes termotolerantes encontrados nas águas (Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA).

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), e faz parte do Programa Água Azul.

Assecom/Idema
Foto: Danny Nunes

Arthur Nory

Ladrões roubam medalhas de Arthur Nory

O ginasta Arthur Nory passou por um grande susto nesta sexta-feira. Bandidos armados invadiram sua casa, na região da Lapa, em São Paulo, e roubaram um grande pedaço de sua história de atleta: levaram todas as medalhas do brasileiro, que fez um apelo: “Devolvam, elas têm um valor gigante para mim.”

Medalhista de bronze na Olimpíada do Rio, em 2016, campeão mundial em 2019, ouro e dono de duas pratas dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 e prata do Pan de Toronto-2015, Arthur Nory viu os bandidos fazerem uma limpa em sua galeria histórica, levando todas as lembranças da vitoriosa carreira que ficavam expostas em uma parede de sua residência.

“Tristeza, hoje entraram na minha casa. Além do difícil momento que passamos, os bandidos levaram todas as minhas medalhas. São objetos simbólicos, mas elas representam todo o meu suor, trabalho e dedicação”, escreveu em um desabafo em suas redes sociais o atleta, que ficou na mira de um revólver.

Não há nada mais precioso para um atleta profissional que suas medalhas. Elas representam suas conquistas. Arthur Nory ficou bastante abalado, mas buscou tranquilizar os fãs. “Fiquem tranquilos. Graças a Deus está tudo bem comigo. Quero continuar meu trabalho para trazer mais medalhas para casa”, garantiu.

E aproveitou para fazer um apelo aos bandidos.”Não existe qualquer tipo de valor financeiro. Elas são banhadas. Só pra avisar!”, disse. “Se vocês souberem dessas medalhas (sendo vendidas em algum lugar) me avisem e devolvam. Elas têm um valor gigante para mim!”

ESTADÃO
Ricardo Bufolin/CBG

Resultados da vacinação em Israel apontam caminho para sair da pandemia

JERUSALEM – Em um teste de grandes proporções para o combate à pandemia do coronavírus, a vacinação em Israel mostrou que um programa robusto de imunização pode ter um impacto rápido e poderoso.

Os casos de covid-19 e hospitalizações caíram dramaticamente entre pessoas que foram vacinadas dentro de poucas semanas, segundo novos estudos em Israel. O ritmo rápido de vacinação fez do país uma espécie de laboratório para o mundo. Dados preliminares sugerem que as vacinas funcionam, na prática, da mesma forma que ocorreu nos testes clínicos.

“Dizemos, com cautela, que a mágica começou”, escreveu no Twitter o biólogo Eran Segal, do Instituto Weizmann de Ciência, coautor de um novo estudo sobre o impacto da vacina em Israel. As boas notícias sobre a vacinação dificilmente significam um passeio sem obstáculos até o futuro pós-pandêmico.

Enquanto o mundo corre para barrar o vírus antes que mutações mais perigosas se espalhem, a escassez de vacinas deve impedir outros países de replicarem o sucesso de Israel, o mesmo de impedir o surgimento de novas variantes.

Até Israel, que superou o ritmo de vacinação em outros países, está longe da linha de chegada. O país prorrogou seu terceiro lockdown de abrangência nacional nesta quinta-feira, 4. Ainda assim, pesquisadores têm esperança na capacidade da vacina em desacelerar os casos entre israelenses vacinados.

“Acho bastante persuasivo que estamos vendo efeitos reais de vacinação na população”, disse o epidemiologista William Hanage, da Escola de Saúde Pública T.H. Chan de Harvard, que não participou do estudo israelense.

Um número crescente de vacinas têm demonstrado eficácia contra a covid-19 e protegem especialmente contra casos graves. Alguns testes sugerem que as vacians podem ter o potencial de retardar a transmissão do vírus.

O novo estudo israelense analisou estatísticas de saúde para pessoas de 60 anos ou mais, que receberam a vacina da Pfizer-BioNTech porque pertenciam a grupo de risco. Com os dados de seis semanas de campanha, quando a maioria das pessoas nessa idade já havia sido vacinada, o estudo estimou que o número de novos casos de covid-19 caiu 41% em relação a três semanas antes.

Esse grupo também teve uma queda de 31% nas hospitaçizações devido ao coronavírus, e de 24% nos pacientes que tiveram casos críticos da doença.

Parte da importância do estudo está no fato de que os autores conseguiram isolar outros fatores, inclusive o lockdown, que também reduz o número de infecções. Os pesquisadores dizem que, mesmo levando essas circunstâncias em consideração, as vacinas tiveram um impacto considerável.

Novos dados, divulgados nesta quinta, 4, por uma das maiores redes de saúde em Israel, sugerem que a proteção da vacina na prática pode ser tão boa quanto o que foi identificado nos teste clínicos.

A vacina teve eficácia de 95% nos testes. Pesquisadores alertaram em novembro que esses números poderiam ser menor com a vacinação no mundo real. Isso porque os voluntários que fizeram os testes podem não representar a população como um todo, por exemplo.

Do Estadão
Foto: Haim Tzach / GPO

Empreendedores faturam R$ 3,5 milhões vendendo tabletes de mandioca

Por anos, o empreendedor Thiago Artacho via o tio cozinhar tabletes de mandioca em casa, com uma receita própria. De acordo com ele, o preparo foi inspirado em um quitute que ele conheceu em uma reserva indígena, no litoral paulista. “Ele fazia em casa e vendia para bares e restaurantes. Chegou a ter 10 fogões, preparava, congelava, mas nunca colocou muita atenção.” Artacho via potencial na receita do tio, mas o próprio criador não queria saber de expandir a fabricação dos tabletinhos crocantes por fora e cremosos por dentro.

O empreendedor já tinha uma empresa de design para varejo, a Green Retail Solutions, em sociedade com Daniel Fernandes e Julio Eiras. Os três vinham pensando em formas de expandir as frentes de negócios e resolveram apostar na receita da família de Artacho. Em 2016, ele fez um acordo com o tio de pagar royalties pela receita e resolveu criar a Bendita Mandioca.

Nenhum dos sócios veio da indústria, então eles tiveram que aprender tudo na prática para colocar a marca no mercado. “Fomos buscar ajuda do Senai para entender como massificar o produto, produzir em escala. Depois de uma consultoria, abrimos uma fábrica em Vinhedo (SP)”, diz.

Como eles têm experiência com design, a primeira preocupação foi investir na marca e no visual, além do discurso do produto. As maiores dificuldades foram realmente ampliar a produção caseira para uma linha padronizada. “Aprendemos muito em processos produtivos, como o consumo de energia. Se tivéssemos um profissional da área industrial desde o início, atualmente estaríamos um pouco mais adiante. Levou um ano até entendermos isso. Hoje, conseguimos contratar alguém que cuida dessa área para nós.”

A dificuldade na escolha e no preparo das mandiocas, que os empreendedores viveram na pele, é uma das apostas para o apelo do produto. “Todo mundo consome batata frita, mas por que não mandioca, que é tão brasileira? A grande barreira é o preparo. Nem todas são macias, nem todas são cremosas, nem sempre encontramos o produtor certo. Nós vendemos essa facilidade”, explica.

Produtos da Bendita Mandioca (Foto: Divulgação)

Hoje, a empresa vende em torno de 50 toneladas de tabletes por mês, em supermercados e redes atacadistas, e faturou R$ 3,5 milhões em 2019. A primeira rede a receber os produtos foi o Giga, em 2018 e a mais recente foi Grupo Pão de Açúcar, em 2020.

No ano passado, eles iniciaram estudos para exportação dos produtos em países como Estados Unidos, Japão e Portugal e, no segundo semestre, já chegaram a receber encomendas e enviar remessas para Canadá.

Os tabletes são vendidos congelados, em embalagens de 400 gramas com design inspirado na própria matéria-prima. Os preços giram em torno de R$ 12. Recentemente, eles passaram a oferecer também geleias como sugestões de acompanhamento para aumentar o tíquete médio.

Apesar de os supermercados terem registrado altas nas vendas durante a pandemia, a Bendita Mandioca sentiu os efeitos contrários: as vendas caíram cerca de 30% nos primeiros meses de quarentena. “Os grandes varejistas focaram muito na cesta básica, mas alguns clientes que já temos cativos mantiveram a compra. O restante voltou a atender a gente aos poucos agora.”

Com isso, a saída foi encontrar uma linha de contato direta com o cliente. Recentemente, os empreendedores implementaram um delivery próprio no site da empresa, com atendimento via WhatsApp. De acordo com Artacho, a demanda veio dos próprios clientes nas redes sociais da marca.

As vendas digitais já têm ajudado a Bendita Mandioca a recuperar o fôlego. Para este ano, o empreendedor espera um crescimento de 20% no faturamento. Além disso, novos produtos à base de goiaba devem ser incorporados ao portfólio nos próximos dois meses, o que pode ajudar a alcançar esse objetivo. “Com a pandemia, a gente acelerou os planos. Mais do que o faturamento, isso nos ajudou a entender o consumidor.”

As vendas digitais representam cerca de 5% do faturamento atualmente, mas a expectativa do empreendedor é que passem a ser 10% até o final do ano. Atualmente, as entregas são realizadas em São Paulo e na Grande São Paulo, e ainda em agosto devem chegar à região de Campinas, próximo à fábrica. “Para os próximos anos, a gente pretende expandir para outros estados, mas sempre em grandes cidades.”

Da Revista PEGN
Fotos: Divulgação

MP que reduz tarifa de energia elétrica é aprovada pelo Senado

A Medida Provisória (MP) 998/2020, que reduz tarifa de energia elétrica, foi aprovada nesta última quinta-feira (4), pelo Senado. De acordo com a Agência Senado, para a redução da tarifa de energia elétrica até 31 de dezembro de 2025, cerca de R$ 3,4 bilhões serão destinados a pesquisas no setor para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que banca o programa social Luz para Todos.

Com a MP, recursos da Reserva Global de Reversão (RGR) e da CDE são destinados para moderar os aumentos tarifários dos consumidores das distribuidoras da Eletrobras, que foram recém-privatizadas no país.

O texto foi aprovado pela Câmara dos Deputados em dezembro, sofreu algumas alterações e agora segue para a sanção presidencial.

Além da contratação de energia pelas distribuidoras, a regra também permite a contratação de potência (energia para as horas de maior consumo). A energia comprada pelas distribuidoras que não for utilizada, poderá ser devolvida.

A Câmara ainda incluiu dispositivos para aumentar a competição nos leilões de geração de energia, junto a outros setores que são beneficiados com efetividade energética.

O texto também permite a criação do adicional tarifário para arcar com os custos relacionados ao contrato de comercialização de energia elétrica da Angra 3, que está em processo de construção na praia de Itaorna, em Angra dos Reis (RJ).

Da TV Cultura/UOL
Foto: Getty Images

Fabricante diz que dados não apontam eficácia de Ivermectina contra Covid-19

A farmacêutica Merck, que é a responsável pela fabricação do vermífugo Ivermectina, publicou uma nota informando que não há dados que apontem a eficácia do medicamento no tratamento à Covid-19. No comunicado, que foi publicado ainda na quinta-feira (4), a empresa explica que não há “nenhuma base científica para um efeito terapêutico potencial contra Covid-19 de estudos pré-clínicos”.

A Ivermectina é um dos medicamentos que mais cresceram as vendas durante a pandemia da Covid-19, após grupos defenderem sua eficãcia no tratamento contra a Covid-19 e, inclusive, em supostos efeitos preventivos para a doença. O prefeito de Natal, Álvaro Dias, é um dos principais defensores do medicamento para o tratamento da infecção da Covid-19 e o município faz distribuição da Ivermectina para o enfrentamento à pandemia.

De acordo com levantamento realizado pela mídia nacional, o produto chegou a ter um crescimento de 557% em um ano, sendo defendido, inclusive, pelo Ministério da Saúde. A Anvisa, por outro lado, já havia informado que não havia comprovação científica para a eficácia do medicamento contra a Covid-19. No momento da liberação do uso emergencial da Coronavac, membros da agência reafirmaram que não havia nenhum medicamento com efeito comprovado contra a covid-19.

Na nota, a farmacêutica Merck, conhecida como MSD fora dos Estados Unidos e Canadá, explicou que os cientistas da empresa continuam a examinar cuidadosamente as descobertas de todos os estudos disponíveis e emergentes de ivermectina para o tratamento de Covid-19 para evidências de eficácia e segurança. No entanto, eles observaram que, até o momento, a análise identificou que não há nenhuma base científica para um efeito terapêutico potencial contra Covid-19 de estudos pré-clínicos; nenhuma evidência significativa para atividade clínica ou eficácia clínica em pacientes com doença, e disse haver uma “preocupante falta de dados de segurança na maioria dos estudos”.

“Não acreditamos que os dados disponíveis suportem a segurança e eficácia da ivermectina além das doses e populações indicadas nas informações de prescrição aprovadas pela agência reguladora”, finalizou a farmaceutica em nota.

Da Tribuna do Norte
Foto: Agência Brasil / Arquivo

Idosos receberão as 51 mil doses da Coronavac enviadas ao RN e aqueles acamados poderão ser vacinados em casa

O novo lote com 51.800 doses de Coronavac que serão enviadas pelo Ministério da Saúde neste fim de semana para o Rio Grande do Norte terá como grupo prioritário os idosos acamados com mais de 75 anos e aqueles que têm mais de 95, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

Os idosos que se encontram acamados poderão ser vacinados em casa. O sistema de cadastramento já está disponível e vale para as pessoas que permanecem acamadas por períodos curtos ou longos, independente do motivo, e que necessitam da ajuda de um cuidador nas atividades diárias e possuem 60 anos ou mais.

O sistema foi desenvolvido através de uma ação conjunta entre a UFRN, por meio do laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) e do Instituto Envelhecer, e a Secretaria Municipal de Saúde de Natal. A proposta é fazer a vacinação dos idosos com a menor exposição possível à covid-19. Ao acessar o link, o responsável pelo idoso, deve primeiramente realizar o seu cadastro para que em seguida possa informar as seguintes informações da pessoa idosa: CPF, endereço completo, doença de base que levou à pessoa a ficar acamada, comorbidades e também os cuidadores. As informações serão utilizadas pelas equipes de saúde na gestão dos atendimentos e planejamento das rotas de vacinação.

2ª dose

Já a 2ª dose das vacinas de Oxford e da Coronavac serão aplicadas nos dias 10 e 17 de fevereiro, segundo a Sesap. Os imunizantes serão encaminhados aos municípios pela Secretaria nos dias oito e nove de fevereiro.

Para garantir a aplicação da 2ª dose é preciso que as pessoas compareçam ao mesmo local onde foram vacinadas com a 1ª dose, levando cartão de vacinação e documento oficial com foto. O espaço entre a primeira e a segunda dose deve ser de 21 a 28 dias.

“A gente reforça que mesmo depois da segunda dose as pessoas devem manter todos os cuidados e medidas de prevenção ao novo coronavírus com utilização de máscara, lavagem das mãos e distanciamento social”, pede Kelly Maia, coordenadora de vigilância em saúde da Sesap.

Do Saiba Mais
Foto: Elisa Elsie

Sine oferece 43 vagas de emprego para Natal e Pau dos Ferros nesta sexta-feira

O Sistema Nacional do Emprego (Sine) oferece 43 vagas de emprego nesta sexta-feira (5) para Natal, região metropolitana e Pau dos Ferros. Há vagas para empregos permanentes e temporários.

Entre as ocupações com vagas permanentes, são oferecidas oportunidades para encarregado de manutenção mecânica, instalador de sistemas fotovoltaicos e desenhista técnico, entre outras. As vagas temporárias são para promotor de vendas.

Para concorrer a uma das vagas, os candidatos devem se cadastrar através do portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego ou pelos aplicativos Sine Fácil e Carteira de Trabalho Digital, disponíveis para Android e IOS.

Devido à pandemia da Covid -19, o Sine está com atendimento presencial apenas com agendamento, que pode ser feito através dos números: (84) 3190-0783, 3190-0788, 98106-6367 e 98107-4226. Os telefones são da unidade matriz, no bairro Candelária.

Os agendamentos e atendimentos acontecem de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h.

Veja as vagas

Natal e região – 41 vagas

Auxiliar de fabricação nas indústrias de artefatos de cimento – 10
Auxiliar mecânico de refrigeração – 2
Consultor de vendas – 3
Desenhista técnico de engenharia civil – 1
Encarregado de manutenção mecânica de sistemas operacionais – 1
Instalador de sistemas fotovoltaicos – 2
Manicure – 2
Mecânico de automóvel – 2
Mecânico de motocicletas – 1
Motorista carreteiro – 10
Operador de empilhadeira – 2
Pizzaiolo – 2
Recepcionista atendente – 1
Técnico de manutenção eletrônica – 1
Técnico mecânico em ar condicionado – 1

Pau dos Ferros e região – 2 vagas

Promotor de vendas – 2

Lula indica que Haddad será candidato a presidente caso ele não possa concorrer em 2022

Lula sinalizou que, caso o STF (Supremo Tribunal Federal) não restitua os direitos políticos para que ele concorra à Presidência em 2022, defenderá que o PT escolha Fernando Haddad como candidato.

Os dois tiveram uma conversa decisiva no sábado (30). E inclusive combinaram de retomar em breve viagens pelo Brasil, indo a alguns lugares juntos e fazendo também roteiros separados. Em fevereiro, Haddad deve ir a Minas Gerais.

Nesta semana o ex-prefeito de São Paulo já passou quatro dias em Brasília, em reuniões com deputados, senadores e com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann.​

A própria deputada, depois da decisão do ex-presidente, deu declaração dizendo que, se Lula não quiser, Haddad é quase o candidato natural do PT à sucessão de Jair Bolsonaro.

As primeiras viagens de Haddad e Lula devem ter agendas mais restritas por causa da epidemia do coronavírus.

A sinalização encerra as dúvidas sobre quem Lula apoiaria caso ele mesmo não possa se candidatar. E tira Haddad da paralisação.

A decisão final sobre os direitos políticos de Lula será do STF, que deve julgar, neste semestre, se o processo contra ele no caso do tríplex foi conduzido de forma parcial pelo ex-juiz Sergio Moro —e portanto deve ser anulado.

Da Folha de S. Paulo
Foto: Heitor Feitosa/VEJA.com

Bolsonaro recusa convite de presidente da Anvisa para tomar vacina

Ao participar da edição desta quinta-feira (4) da live semanal de Jair Bolsonaro (sem partido), o diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, disse que, assim que chegar sua vez, tomará a vacina contra a Covid-19. Em seguida, convidou o presidente a fazer o mesmo, mas Bolsonaro recusou.

Divergindo do presidente e da maioria dos ministros e auxiliares que participaram das últimas edições do programa do presidente, Barra Torres, que é médico, usou máscara de proteção durante toda a transmissão.

Quando a live já estava terminando, o diretor-presidente da Anvisa pediu a palavra e disse que todo o comando da agência confia nos imunizantes aprovados. Barra Torres afirmou que vem sendo questionado sobre quando tomará uma das vacinas que passaram pelo crivo da Anvisa.

Ele explicou que, apesar de ser médico, não está na linha de frente e que aguardará sua vez.

“Mas, com certeza, quando houver essa possibilidade do uso amplo do registro, eu estarei lá numa fila num posto de saúde para tomar a vacina”, afirmou.

“Você vai se vacinar?”, indagou Bolsonaro, que tem recorrente discurso antivacina.

“Eu vou, claro”, reagiu o diretor-presidente da Anvisa.

“Eu vou te acompanhar, vou ver você ser vacinado”, respondeu o presidente.

“Já é um início”, disse Barra Torres.

“Vou ser testemunha”, afirmou Bolsonaro.

“Muito bom, muito bom, presidente”, reagiu o chefe da Anvisa.

Barra Torres disse que tomará qualquer uma das vacinas aprovadas pelo órgão regulador.

“Foi certificada pela Anvisa? Foi. Então, não interessa qual é. A que tiver no posto, eu estarei lá. E agora o presidente disse que vai me acompanhar.”

Em tom de brincadeira, Bolsonaro pergunta se pode ele mesmo vacinar o presidente da Anvisa.

“Vai ter uma moeda de troca. Quero saber se o senhor está disposto”, disse Barra Torres, ouvindo como resposta uma gargalhada do presidente.

“Sem contrapartida aí”, disse Jair Bolsonaro.

FOLHA DE SÃO PAULO

média móvel coronavírus

Brasil tem média móvel de mortes de 1.030 nesta quinta-feira

A média móvel de mortes por covid-19 no Brasil ficou em 1.030 nesta quinta-feira, 4, de acordo com dados divulgados pelo consórcio de veículos de comunicação. Esse tipo de média móvel leva em consideração dados dos últimos sete dias para corrigir distorções provocadas pelas variações nos registros. Nas últimas 24 horas, aconteceram 1.291 mortes causadas pelo novo coronavírus e 57.848 novos diagnósticos no País.

Os dados são reunidos pelo consórcio de veículos de comunicação a partir dos registros das secretarias estaduais de Saúde. O consórcio é formado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL. No total, o Brasil já registrou 228.883 mortes desde o início da pandemia, em meio a 9.397.769 casos confirmados.

De acordo com o Ministério da Saúde, 8.291.763 pessoas se recuperaram da doença, em meio a 9.396.293 casos confirmados. Os dados da pasta diferem dos registros do consórcio em razão da metodologia de coleta. A pasta aponta um total de 228.795 óbitos confirmados, 1.232 deles nas últimas 24 horas.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

FOLHA DE SÃO PAULO

Reforma administrativa é pauta de reunião

Reforma administrativa será prioridade na gestão de Lira

Declaração sobre a reforma administrativa foi dada nesta quinta feira, 4, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), disse nesta quinta-feira, 4, que a prioridade dos deputados será a votação da reforma administrativa, que modifica a forma como os servidores públicos são contratados, promovidos e demitidos. Ficaram de fora do alcance da maior parte das mudanças os servidores atuais e os chamados membros de outros Poderes (juízes, promotores, desembargadores, por exemplo).

Lira se reuniu com Guedes na sede do Ministério da Economia, em Brasília. O ministro deve receber ainda hoje o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-RJ). Segundo Lira, o Senado deve priorizar a votação das propostas de emenda constitucional (PECs) do chamado “Plano Mais Brasil”, enviado por Guedes ao Congresso em novembro de 2019.

Uma das propostas é o chamado pacto federativo, que revê as regras fiscais e injeta recursos nos Estados e municípios. O pacote também inclui uma PEC emergencial para abrir R$ 28 bilhões no Orçamento em dois anos e R$ 50 bilhões em uma década, e outra para tirar o carimbo de R$ 220 bilhões em recursos hoje parados em fundos do governo.

“Estamos absolutamente sintonizados com o governo federal e a pauta de reformas, a solidificação da nossa economia, com previsibilidade e harmonia”, disse Lira, ao lado do ministro Paulo Guedes, que, diferentemente do congressista, não usava máscara.

Lira disse ainda que o projeto de autonomia do Banco Central, já aprovado no Senado, estará na pauta da Câmara na próxima semana. O texto estipula mandatos estáveis e requisitos para nomeação do presidente e de diretores do BC.

Guedes parabenizou Lira pela vitória e disse que isso o deixa “esperançoso e confiante” na retomada da agenda de reformas. “Estamos retomando a agenda de reformas em perfeita harmonia. Estamos 100% à disposição do Congresso Nacional para trabalharmos juntos”, afirmou. A maior parte das reformas enviadas pelo governo ao Congresso são por meio de uma PEC, que exige aprovação de três quintos da Câmara (308 votos) e do Senado (49 votos).

Apoiado pelo Palácio do Planalto, Lira foi eleito com 302 votos, após uma disputa marcada por traições, recuos e denúncias de compra de votos. A escolha de Lira representou a vitória do Centrão, grupo de partidos conhecido pela prática do “toma lá, dá cá”, e um novo capítulo para o governo de Jair Bolsonaro, que aposta em uma agenda mais conservadora do que liberal para conquistar novo mandato.

O ministro não respondeu aos questionamentos dos jornalistas sobre prorrogação do auxílio emergencial e disse que está “observando” a situação. “Se a pandemia nos ameaçar, sabemos como reagir. Estamos observando”. Guedes falou em adotar medidas que não tenham efeito fiscal, como a antecipação do 13º pago a aposentados, como antecipado pelo Estadão. “Na saúde, [precisamos de] vacinação em massa e proteção aos mais vulneráveis.

ESTADÃO
Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados

Luciano Hang e mãe

Luciano Hang perde a mãe para o coronavírus em São Paulo

Antes de ser contaminado, Luciano Hang afirmou que a família fazia tratamento precoce com cloroquina.

Aos 82 anos, Regina Modesti Hang morreu, na última quarta-feira (3), em decorrência de complicações clínicas, após contrair coronavírus. A mãe do empresário Luciano Hang estava internada no hospital da rede Prevent Sênior, em São Paulo, desde o dia 30 de dezembro.

Desde a internação, Regina foi mantida na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e foi submetida a uma traqueostomia. Porém, durante a internação, a mãe do empresário não resistiu a uma infecção generalizada e morreu.

Seguidor fiel do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Hang, de 58 anos, afirmou, em transmissão ao vivo no Instagram, no último dia 20 de janeiro, que estava fazendo uso de remédios como a cloroquina para tratamento precoce e, mesmo assim, foi diagnosticado com covid-19.

A declaração coloca em xeque as orientações sem comprovação científicas feitas por Bolsonaro e por seu ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que vêm aconselhando a população a fazer uso desse medicamento no chamado “tratamento precoce” para  covid-19.

Na live, o empresário confirmou que sua mãe, Regina Hang, e sua companheira, Andrea Hang, também haviam sido contaminadas.

O casal teve alta no dia 23 de janeiro. “Semanalmente, eu estava tomando cloroquina, estava tomando ivermectina, tomando vitamina D e zinco”, afirmou o empresário, que enviou um recado aos seus seguidores. “Você tem que se cuidar, tem que fazer a parte de higiene e usar a máscara”, aconselhou.

BRASIL DE FATO

CCJ é a Comissão mais importante da Câmara

Entenda o que é a CCJ e por que é tão disputada

Estratégica, CCJ da Câmara tem o poder de decidir se uma proposição segue para o plenário.

A instalação da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados só deve ocorrer em março, mas as disputas em torno da presidência da comissão permanente mais importante da casa já começaram. Um acordo entre parte de líderes de blocos e partidos políticos pode levar a deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF) a presidir a CCJ. Por outro lado, o nome de Lafayette de Andrada (Republicanos-MG) também é ventilado como uma candidatura avulsa a fim de fazer a indicação de Bia Kicis.

A nomeação, diferente do que pode parecer, não é uma função do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Segundo Neivaldo Ferreira, analista legislativo e doutor em ciência política, o presidente pode até influenciar o processo, mas são os líderes de blocos partidários com maior proporcionalidade dentro da comissão que indicam os membros para a presidência. No total, são quatro cargos: presidente, 1º, 2º e 3º vice-presidentes.

“O bloco com maior peso dentro da comissão tem direito, de acordo com a sua proporcionalidade, de fazer a primeira escolha e dizer qual das 25 comissões permanentes existentes quer presidir”, explica Ferreira. Por sua vez, a proporcionalidade dentro da comissão é a mesma existente na Câmara dos Deputados. Logo, se um bloco representa 50% dos 513 parlamentares, haverá a mesma representação dentro da comissão.

Nesta legislatura, que se inicia em 2021 e termina no próximo ano, o bloco partidário do qual Arthur Lira faz parte é o que tem o maior número de deputados – PSL, PP, PSD, MDB, PL, Republicanos, DEM, PSDB, PTB, PSC, PMN – e, por isso, escolherá presidir a CCJ, a comissão mais importante, e quem são os nomes a ocupar a presidência. E, assim, vão sendo distribuídas as presidências das 25 comissões permanentes da casa. Por ora, o nome de Bia Kicis é o que tem sido colocado à frente das indicações, mas como visto nada impede o bloco de lançar candidaturas avulsas, como o nome de Lafayette de Andrada.

Quem é o presidente da CCJ, peça-chave para tramitação da PEC da Previdência?

Por fim, quem decidirá de fato o jogo é o colegiado existente, ou seja, os membros atuais da comissão, tanto os titulares quanto os integrantes da presidência. Hoje, a presidência é formada por Felipe Francischini (PSL-RS) como presidente e Bia Kicis, Lafayette de Andrada e Caroline de Toni (PSL-SC) como 1º, 2º e 3º vice-presidentes respectivamente.

Porque a CCJ é a comissão mais importante?

A CCJ é a comissão permanente mais disputada, na Câmara e no Senado, porque entre as suas atribuições está a admissibilidade de propostas legislativas, a partir de seus aspectos constitucional, legal, jurídico e regimental. Arthur Lira, enquanto presidente da Câmara, tem o poder de receber uma proposição e fazer uma análise superficial, uma vez que ele e sua assessoria jurídica não têm a capacidade de analisar, sozinhos, aproximadamente 4 mil proposições que são apresentadas anualmente na Câmara.

“O presidente e sua assessoria jurídica não têm condições de analisar a fundo, então recebe e aceita ou não a tramitação daquela matéria. E aí é a CCJ que realmente vai dizer se a matéria segue ou não, é a parte que analisa profundamente a adequação da proposição às regras constitucionais e jurídicas”, afirma Ferreira.

Em regra, todas as proposições, sejam Projetos de Lei ou Propostas de Emenda à Constituição (PEC), devem passar pela CCJ. Salvo quando comissões especiais são criadas para debater projetos que não sejam PECs. “Por isso é tão importante, ela é quem vai dizer, em última análise, se a proposição de qualquer ente, seja deputado ou membro externo, pode ou não seguir tramitando na casa, tem ou não chance de pelo menos ser apreciada”.

Entre as outras atribuições, a CCJ tem a função recursal sobre as decisões do presidente da Câmara, bem como do Senado. Isso significa que se algum parlamentar contestar uma medida, isso deve ser feito pela comissão, que dará um parecer. Mas não só contestações, qualquer assunto de natureza jurídica ou constitucional pode receber uma consulta da comissão, por iniciativa de parlamentares, presidente ou outras comissões.

Além disso, a comissão trata de assuntos relativos a direitos e garantias fundamentais, organização do Estado e dos poderes, a funções essenciais do Poder Judiciário, matérias relativas aos direito eleitoral, constitucional, civil e penal.

Bia Kicis na presidência da CCJ da Câmara dos Deputados

O nome da deputada bolsonarista para a presidência da CCJ tem preocupado a oposição e até mesmo parlamentares do próprio bloco partidário. Isso porque Kicis é uma das aliadas mais ferrenhas do presidente Jair Bolsonaro, considerada da “ala ideológica”.

Kicis é uma das investigadas, por exemplo, no Inquérito das Fake News, do Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga ataques direcionados aos ministros da corte. A parlamentar também é investigada por racismo devido a uma postagem na qual ironizou a situação de “desempregados” após Sergio Moro e Henrique Mandetta pedirem exoneração do governo. Na publicação, Kicis pintou os rostos dos ex-ministros de preto.

De acordo com um levantamento da agência de checagem Aos Fatos, a deputada é uma das figuras políticas que mais dissemina informações falsas sobre a pandemia de covid-19. Ela já se colocou contra o uso de máscaras e isolamento social, bem como culpou a China pela “produção do vírus”.

Se alcançar a presidência da CCJ, Kicis já ventilou que irá pautar a volta do voto impresso, proposição defendida pelo presidente Jair Bolsonaro.

BRASIL DE FATO
Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Maia negocia ida ao PSL e pode ser candidato à presidência em 2022

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve deixar seu partido atual rumo ao PSL, segunda maior legenda em número de parlamentares na Casa. A ideia de é levar consigo cerca de 40 políticos, boa parte deles do DEM.

Segundo informações do jornal O Globo , a lista de Maia contêm governadores, prefeitos, deputados federais e deputados estaduais com os quais cultivou relação próxima em seu período como presidente da Câmara.

Maia acredita que o PSL tem estrutura para ser protagonista nas eleições de 2022, e planeja articular candidatura à presidência para enfrentar Jair Bolsonaro.

Dirigentes do PSL, porém, apesar de se animarem com o projeto, avaliam que o deputado precisaria adotar uma postura menos agressiva do que a que manteve como presidente da Câmara, quando, em muitas ocasiões, entrou em atrito com Bolsonaro.

Do Portal IG
Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Vaca tenta beber água e cai em piscina no Espírito Santo

Uma vaca teve que ser resgatada pelo Corpo de Bombeiros de dentro da piscina de um sítio no bairro Cangaíba, em Cariacica, na Grande Vitória. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (3). O animal não se feriu.

O sargento do Corpo de Bombeiros Wenos Francisco dos Anjos, que atendeu a ocorrência, contou que a equipe foi chamada até o local depois que o dono do imóvel ligou para o resgate informando que uma vaca tinha caído na piscina dele.

O animal é de uma propriedade vizinha. A suspeita dos bombeiros é de que a vaca tentou beber água e acabou caindo na piscina.

“Quando a gente chegou, ela estava nadando na piscina. Uma vaca muito mansa. Deve ter aproveitado para se refrescar do calor”, brincou o bombeiro.

Para o resgate, o sargento contou que foi necessário laçar a vaca e puxá-la primeiro pelas patas da frente e, depois, pelas patas traseiras.

“A gente colocou ela deitada no deck, depois ela se levantou, pegou a estrada e seguiu o caminho dela”.

Segundo Wenos, quando a equipe deixou o bairro, os bombeiros viram o animal entrando pela porteira da propriedade onde vive.

Gasolina já subiu 13% nas refinarias em 2021 e deve ficar ainda mais cara

Ainda é fevereiro, mas a Petrobras já anunciou dois aumentos para a gasolina e um para o diesel em 2021. Com um reajuste de 7,6% anunciado em 8 de janeiro e outro de 5% no dia 26 do mesmo mês, a gasolina já acumula cerca de 13% de alta nas refinarias neste ano. Já o diesel, pivô do descontentamento dos caminhoneiros que levou a paralisações isoladas nos últimos dias pelo país, foi reajustado em 4,4%.

E os analistas são unânimes: deve vir mais alta de preços dos combustíveis por aí, já que os valores praticados pela Petrobras no mercado interno seguem abaixo do mercado internacional, que serve de referência para os reajustes da estatal.

O aumento esperado dos preços reflete a expectativa de valorização do barril do petróleo, diante da previsão de manutenção da oferta restrita pela Opep (Organização de Países Exportadores de Petróleo) e Rússia; aliada ao crescimento projetado da economia mundial, com o avanço da vacinação contra a covid-19; e à incerteza com relação ao câmbio, diante do desequilíbrio das contas públicas nacionais.

Para o consumidor final, a expectativa dos analistas é de uma alta entre 8% e 10% do preço da gasolina neste ano e um pouco menos do que isso para o diesel, devido à sensibilidade política do reajuste desse combustível desde a greve nacional dos caminhoneiros de 2018.

Leia a matéria completa. Clique aqui

Da BBC News
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas/Ilustração

Em aeroporto, Bolsonaro ergue cartaz ‘Globo Lixo’

O presidente Bolsonaro ergueu na manhã desta quinta (4) um cartaz com os dizeres ‘Globo Lixo’, no aeroporto de Cascavel (PR).

A multidão que o recebeu gritava “mito! Mito!”, e, quando o presidente ergueu o cartaz, passou a gritar “Globo lixo, Globo lixo!”.

As imagens foram publicadas na conta oficial de Jair Bolsonaro no Facebook.

O presidente também ergueu uma caixinha de leite condensado.

Do O Antagonista
Fotos: Reprodução/Jair Bolsonaro/Facebook

Ao contrário de outros estados, RN não cogita novo fechamento de atividades comerciais

Nos últimos dias, pessoas que residem no Ceará e São Paulo, além do próprio Amazonas, tiveram restrições severas com relação à circulação e desenvolvimento de atividades comerciais, devido à situação da pandemia do novo coronavírus. Apesar da crise sanitária em outros estados, a situação da pandemia no Rio Grande do Norte não enseja, neste momento, a suspensão de mais atividades comerciais. É o que afirma o secretário de Saúde do estado, Cipriano Maia.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal, nesta quinta-feira (4), Cipriano Maia explicou que o Rio Grande do Norte tem uma taxa de ocupação de leitos “suportável”, na faixa dos 60%, e que está em uma situação de “platô” com relação à pandemia, com o número de casos diários sem apresentar queda. O titular da Sesap ressaltou que há reuniões semanais do Comitê Científico do estado para avaliar o andamento da pandemia, mas não foi identificado, neste momento, a necessidade de novas restrições.

“Hoje, a partir dos números que temos, temos uma situação de platô, estabilização em número alto. Queremos que esse platô se reduza. Havia tendência de declínio, mas houve crescimento em novembro, em janeiro nas duas primeiras semanas, com 5 mil casos por semana, e agora temos observado novo declínio. Queremos fazer a onda decair. Temos uma taxa suportável (leitos críticos ocupados), mas não é o desejável”, disse Cipriano Maia.

Atualmente, o Rio Grande do Norte segue com restrições para o funcionamento de diversas atividades, mas a maior parte relacionada à obrigatoriedade da utilização de máscaras, manutenção de distanciamento social e higienização das mãos. Por outro lado, o Ceará determinou que qualquer atividade econômica não essencial em Fortaleza só poderá funcionar até as 20h nos próximos 15 dias, além de obrigar que restaurantes, barracas de praia e outros estabelecimentos de alimentação fora do lar só poderão funcionar até as 15h nos fins de semana, inclusive em shoppings centers. Para Cipriano Maia, a população do Rio Grande do Norte deve ficar alerta.

“A questão é: a nova variante vão trazer aumento de transmissibilidade? Esse é o alerta. Por isso que todos nós temos chamado a atenção à vigilância, o Governo suspendeu festas de Carnaval, para que possamos manter a atividade (comercial) como ela vem funcionando. Para não virmos a ter surpresas desagradáveis com uma disparada”, explicou o secretário.

Da Tribuna do Norte
Foto: Paulo Pinto/Fotos Publicas

Chamado de “Bosta em Lata”, negócio fatura R$ 210 mil

“Você vende até bosta em lata”. Dita em um tom de brincadeira, essa frase mudou o rumo dos negócios do empreendedor Leonardo de Matos. Morador de São José de Rio Preto, São Paulo, o empresário diz que sempre foi reconhecido por ser um bom vendedor. Depois de passar por duas quebras no mercado de confecção, ele decidiu investir na venda de bosta em lata, uma mistura de adubo para plantas.

“Surgiu primeiro o nome, depois eu pensei no que vender”, diz o empreendedor.

Ele percebeu que havia uma tendência das pessoas de tirar fotos com as suas “plantinhas”. De olho nesse mercado, Matos decidiu substituir os pesados sacos de adubos por uma pequena lata, semelhante às que são encontradas nos supermercados e fundou o Bosta em Lata em 2016. O produto é composto por esterco, casca de árvore e dejetos de aves e só é vendido por e-commerce.

“Eu vi que com esse nome eu conseguiria uma boa repercussão”, afirma o empresário. E o produto realmente caiu no gosto do público. “Têm pessoas que compram para dar de presente”, diz o empreendedor. Segundo ele, a lata pode ser reutilizada, já que o adubo vem em um saquinho. Em um ano e meio, a empresa faturou cerca de R$ 210 mil com 15 mil latas vendidas.

Atualmente, a empresa trabalha com duas linhas de produtos: o Bosta em Lata para hortaliças e um adubo específico para orquídeas, que custam respectivamente R$ 24,90 e R$ 34,90. “No caso das orquídeas, vendemos um pó solúvel que é diluído em água, porque nessas plantas o adubo tem dificuldade de alcançar a raiz”, explica o empreendedor.

A empresa também busca conquistar o varejo. Para isso, o empresário produziu uma linha de produtos com o nome “Fada em Lata” (uma metáfora para pozinho da personagem Sininho de Peter Pan). Matos explica que no e-commerce o nome “Bosta em Lata” tem uma boa aceitação, mas no varejo é possível que sofra uma resistência, por isso o empreendedor decidiu criar um produto específico para esse segmento. O “Fada em Lata” será distribuído nas lojas da Rede Petz.

Tentativas e erros

Leonardo de Matos começou a sua palestra “Cheiro de Dinheiro” na Feira do Empreendedor contando sobre sua trajetória empreendedora que teve vários obstáculos no caminho. Quando ele tinha apenas 16 anos, o pai dele faleceu e o empresário teve que assumir um hotel da família. No entanto, ele diz que queria criar o seu próprio negócio.

“Investi em uma bomba de chopp. Era como seu fosse uma bomba de combustível, mas saia a cerveja”, diz o empreendedor. Mas a invenção não atraiu investimento. Matos chegou a pensar até mesmo em um motel, só que novamente a ideia não conquistou os investidores.

No setor de confecção, o empreendedor conseguiu crescer, mas algumas falhas de gestão o levou a falência. “Eu tive que descobrir meu talento que não era foco apenas na gestão e sim nas vendas”.

Do Pequenas Empresas Grandes Negócios
Foto: Amanda Oliveira/ Editora Globo

Diretor da Petrobras ganha em média R$ 3 milhões por ano, revela relatório

Com salários de até R$107mil mensais e penduricalhos indecentes bancados pelo pagador de impostos, não admira que a Petrobras adote e política de aumentos quase diários para aumentar ganhos, empurrando os caminhoneiros à greve. O presidente da Petrobras pode embolsar R$3,5 milhões ao ano, se houver lucro. O salário médio dos 8 diretores da estatal foi de R$3 milhões (exatos R$2,929 milhões) em 2019, quase dez vezes mais o salário anual de R$371 mil do presidente da República. A indecorosa caixa preta foi finalmente aberta no Ministério da Economia. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A “caixa preta” de estatais foi aberta corajosamente pela Secretaria de Desestatização e Desinvestimento, do Ministério da Economia.

Custa-nos R$2,3 bilhões por ano só a conta “Benefícios de Assistência à Saúde” na Petrobrás, cujo passivo atuarial na área soma R$14,1 bilhões.

Os penduricalhos, muitos deles superpostos (Auxílios Babá e Creche e Auxílio Refeição mais Cesta de Alimentação) chegam a ser criminosos.

A quantidade incrível de “abonos”, “auxílios”, “benefícios” etc sugere uma organização sofisticada que apropria, na calada, de dinheiro das estatais.

Diário do Poder
Foto: Sergio Moraes/Reuters

EXEMPLO PARA TODOS OS MUNICÍPIOS: Prefeitura de Areia Branca vai intensificar fiscalização de medidas restritivas contra Covid durante carnaval e infratores serão penalizados

A Prefeitura de Areia Branca, através da Procuradoria Geral do Município, Assessoria de Articulação Institucional, Fundação de Cultura, Gerência de Turismo e Secretaria de Saúde por meio da Vigilância Sanitária, reuniu na manhã desta quarta-feira (03) representantes de bares, restaurantes, hotéis, pousadas e balsas assim também com a representação da área cultural como responsáveis por festas, eventos, clubes, casas de shows, blocos e agremiações carnavalescas, bicharadas e escolas de samba onde se discutiu sobre a situação da saúde pública no município com relação a Covid e os cumprimentos das medidas restritivas durante o período de carnaval.

A proibição da festa está publicada no Decreto Municipal n 002/2021 emitido no Diário Oficial do Município em 8 de janeiro passado. O assessor jurídico de Areia Branca, Igor Campos, informou que a fiscalização será rigorosa e os responsáveis de eventos clandestinos serão penalizados por atentado contra a saúde pública, além do pagamento de multa que varia de um mil a 40 mil reais.

“Representações criminais estão sendo feitas contra organizadores de eventos irregularidades de eventos passados”, informou Igor Campos.